Rússia e Ucrânia: o mercado brasileiro afetado pela guerra

Valdomiro Soares comenta sobre como os produtos e as empresas sofrem devido a guerra, além de como pode afetar nosso País

As sanções impostas à Rússia devido à guerra declarada à Ucrânia, afeta o mercado e diversas marcas acabaram por ser prejudicadas. Dentre as sanções, está Roman Abramovich, dono do Chelsea, em que está impedido de realizar a venda do time ou realizar investimentos na equipe. Além disso, marcas mundiais de diversos setores estão se retirando do país russo. Empresas como Dell Technologies e Apple, as montadoras Volkswagen, Ford e BMW, além de marcas alimentícias como McDonald’s e Coca-Cola. Boa parte das empresas decidiram suspender suas operações no país em apoio à Ucrânia, por não concordarem com os ataques russos e por acreditarem que sua reputação pode ser associada à guerra. No Brasil essas sanções afetam principalmente as exportações feitas para o nosso país, afetando principalmente as importações das marcas de adubos e fertilizantes.

Publicidade
Delta

Para o presidente do Grupo Marpa – Marcas, Patentes, Inovações e Gestão Tributária, o conflito tem como impacto o preço de produtos, refletindo muito em nosso comércio exterior, pois as sanções adotadas suspendem as vendas e compras de produtos do mercado russo. “As medidas tomadas pelas empresas para a proteção de suas marcas podem impactar todo nosso mercado, causando inflações em certos produtos, o que pode acarretar prejuízo para o nosso país”.

O presidente ainda ressalta sobre a importância de algumas exportações realizadas e também para produtos de nossas importações. “O Brasil, mesmo que não utilize tanto a importação de produtos russos, ainda é importante para algumas importações, como é o caso de combustíveis, carvão, adubos e fertilizantes, isso tende afetar diretamente nosso mercado.” Afirma.

Artigos Relacionados