Webinar Sobratema mostrará como a tecnologia tem sido importante para combater o roubo de equipamentos no país

A popularização, o barateamento e a cobertura nacional dos sistemas de monitoramento on-line, somado aos sistemas de rastreabilidade, elevaram o patamar da segurança dos equipamentos.

Publicidade

“Os sistemas de rastreabilidade dificultam a revenda do equipamento roubado e principalmente o desmanche, pois cada componente pode ter a sua origem facilmente identificada seja por marcações físicas ou por chips passivos. As bases de dados dos fabricantes instalados nos computadores permitem rapidamente identificar qualquer componente suspeito”, explica Paulo Oscar Auler Neto, vice-presidente da Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração (Sobratema).

A tecnologia também tem sido ferramenta importante para os grupos de inteligência da polícia e dos órgãos públicos, pois oferta mais previsibilidade e assertividade nas ações de combate e repreensão ao crime organizado. “Sistemas de leitura automáticos de placas e as salas de monitoramento instaladas nas grandes cidades vêm trazendo grandes benefícios para a sociedade, permitindo a identificação de atitudes suspeitas bem como a rápida inibição de alguma ação ilícita em andamento”, avalia Auler Neto.

O vice-presidente da Sobratema pondera que, mesmo com toda a tecnologia disponível, observa-se um aumento dos roubos de máquinas nos grandes centros urbanos e também na áreas rurais, pois o crime organizado sempre busca formas de driblar esses mecanismos.

Publicidade
Agrifoglio Vianna no JRS

Por isso, a associação vem participando ativamente de grupos de debate com o poder público,  empresários e empresas de tecnologia, no sentido de se criar sistemas mais eficientes e robustos de prevenção a este tipo de crime. “Os avanços já são notados e esperamos que em pouco tempo todos os dispositivos criados como as bases legais, as novas tecnologias, os sistemas de comunicação e as forças policiais em todas as suas esferas possam desestimular estas ações”, destaca Auler Neto.

Outra iniciativa da Sobratema será promover, no dia 29 de setembro, a partir das 15h, o Webinar Sobratema Sistemas de Segurança. Segundo Auler Neto, o evento online será fundamental para informar, alertar e mostrar as soluções, a fim de que o mercado tenha uma visão geral desse grave problema e o que está sendo feito para diminuir o roubo de máquinas. A transmissão será feita pelo Canal da Sobratema no YouTube.

Outro tema a ser tratado no Webinar Sobratema é o mercado de seguros específicos para equipamentos que, na análise de Auler Neto, tem potencial para ser desenvolvido, pois o valor mais alto dos ativos, a falsa sensação de baixa exposição ao risco e o alto custo das apólices levam os empresários a assumirem os riscos. Quando há um índice maior de criminalidade e ocorrência são feitos seguros específicos de roubos, mas não em toda frota da empresa.

“As seguradoras vem oferecendo soluções com flexibilidade de cobertura para que ela seja mais dinâmica ao longo do período da apólice, mediante aviso prévio entre as partes sobre as atividades de cada equipamento”, explica o vice-presidente da Sobratema, que acrescenta que esta modalidade exige um maior controle sobre a gestão da frota e também um nível de confiança mais elevado.

A programação do evento online contará com as palestras de Antonio Rebouças de França Filho, CEO da Meta Soluções de Segurança, Eurimilson Daniel, vice-presidente da Sobratema, Marcelo Luz, sócio-diretor da Restart Corretora de Seguros, Vanderlei Zermiani, coordenador Comercial da Sitech, e delegado Waldomiro Milanesi, coordenador do Programa de Prevenção, Fiscalização e Repressão ao Furto, Roubo, Apropriação Indébita e Receptação de Carga (PROCARGA) da Secretaria de Segurança Pública do Estado de SP, e será aberto pelo engenheiro Afonso Mamede, presidente da Sobratema, seguida pela mensagem de Rolf Pickert, diretor geral da Messe Muenchen do Brasil.

O Webinar Sobratema Sistemas de Segurança é direcionado para todos os profissionais das áreas da construção, de locação e de equipamentos, fornecedores e prestadores de serviço, instituições financeiras, agentes públicos e representantes de entidades setoriais.

Artigos Relacionados

Comentários

Deixe uma resposta