Megacidades e os “mega-desafios” de mobilidade 3333

Cidade

Explosão no crescimento do número de grandes cidades e sua população tornou a mobilidade urbana um problema que implora por atenção

É um fenômeno novo e difícil. Por séculos, pessoas têm se mudado do campo em busca de educação e oportunidades de trabalho. De volta a 1800, quando Pequim se tornou a primeira cidade da era moderna com um milhão de habitantes, apenas duas pessoas a cada 100 viviam em cidades.

Já em 2017, pela primeira vez, a maioria da população viveu em áreas urbanas e não mais rurais. A projeção é que isso cresça para 66 pessoas a cada 100 até 2050. Ainda nada tem marcado o triunfo das cidades como a ascensão das megacidades. Nova York foi a primeira que passou da marca de 10 milhões de habitantes em 1950. Desde então, o número de megalópoles cresceu rapidamente. Em 2016, elas eram 31, a maioria na Ásia, incluindo Pequim, Xunquim e Xangai na China e Deli e Mumbai na Índia.

O Japão tem Tóquio, que, com 37,8 milhões de habitantes, tem a maior aglomeração urbana de pessoas no mundo, e Osaka. Existem mais pessoas “compactadas” dentro da cidade de Carachi no Paquistão (27 milhões) do que as contabilizadas no continente inteiro da Austrália (24 milhões). A China já começou a construir a infraestrutura para Jing-Jin-Ji, a megalópole prevista para englobar Pequim, Tianjin e Hebei, com 130 milhões de pessoas e será 137 vezes o tamanho de Londres.

O problema da aglomeração

  • Tóquio é a maior cidade do mundo com 38 milhões de habitantes.
  • Deli é a segunda com 25 milhões, seguido por Xangai com 23 milhões e Cidade do México, Mumbai e São Paulo, cada uma com cerca de 21 milhões de cidadãos.
  • Tóquio está prevista para permanecer como a cidade mais populosa do mundo com 37 milhões de habitantes, seguido por Deli, onde a projeção é que a população cresça rapidamente até 36 milhões

Sinais vermelhos

Como as grandes metrópoles ao longo da história, as megacidades oferecem oportunidades de cultura, negócio, conhecimento e indústrias. As multidões são guiadas pela esperança e pobreza existentes no campo. Entretanto, existem os lados negativos de reunir tantas pessoas dentro de espaços tão pequenos.

Além da criminalidade, escassez de água, destruição e desperdício do meio ambiente, os serviços frequentemente se mostram inadequados frente às crescentes demandas. Muitas pessoas em lugares, como Manila nas Filipinas, Cidade do México e Mumbai, na Índia, simplesmente acabaram trocando a esmagadora pobreza rural pelas favelas urbanas.

Movimentos restritos

Nas grandes cidades, mobilidade é um problema frequentemente subvalorizado. O tópico foi discutido durante a “Urbagora”, a primeira conferência europeia a respeito do futuro da vida urbana, organizado pelo Instituto de Megacidades, localizado na cidade de Paris – a organização sem fins lucrativos foi cofundada pela Allianz França. Entre os temas abordados no encontro, foi citado, por exemplo, como o alucinante crescimento urbano da China ajudou a impulsionar a economia do país nas últimas três décadas. Hoje a China tem seis grandes cidades e outras 100 são a residência de um milhão ou mais de pessoas.

Mais “urbanóides”, mais dinheiro, o que significa mais rodas nas estradas. O número de carros na China cresceu de 59 milhões em 2007 a pouco mais de 300 milhões, de acordo com o Ministério Chinês de Segurança Pública.

Uma das consequências é que a China agora tem 10 das 25 cidades mais congestionadas globalmente. A velocidade média na hora de rush em Jinan, a capital da província de Shandong, província no nordeste da China, é abaixo de 20 km/h – a mais lenta do mundo. As estradas em Pequim e Xangai estão frequentemente congestionadas. A China está longe de ser a única a ter problemas com mobilidade. Em São Paulo, metade de todos os adultos gasta pelo menos duas horas por dia no trânsito, o que faz a média de uma hora por dia de Nova York parecer tranquila.

Mais rodas, mais problemas

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Megacidades, com as 20 maiores cidades no mundo, identificou cinco problemas críticos relacionados à mobilidade urbana – problemas de estacionamento, congestionamento, áreas verdes limitadas e poluição sonora e do ar.

A poluição no ar é a maior preocupação dos moradores das cidades. Por exemplo: em 2013, Xangai sofreu durante 124 dias quando uma camada superfina de poluição excedeu 600 microgramas por metro cúbico. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda não mais que 10 microgramas e estima que a poluição em espaços abertos causou 3 milhões de mortes prematuras no mundo em 2012.

As emissões do trânsito continuam a contribuir significativamente para as condições ruins do ar que permanecem como pragas das cidades chinesas. Em âmbito mundial, em 2014, a OMS estimou que 92% da população estava vivendo em lugares onde a orientação dos níveis de qualidade do ar não eram cumpridas.

População urbana inteligente

Cidades cobrem mais ou menos 2% da superfície, mas consomem cerca de 75% dos recursos naturais, de acordo com a Euramet. Megacidades são particularmente vorazes no consumo de recursos. As Nações Unidas projeta que o número de megacidades irá subir para 41 em 2030. Até lá, elas abrigarão cerca de 9% da população global.

Então, como podemos lidar com a rápida e contínua urbanização no mundo?

Inovação e novas tecnologias podem prover as ferramentas necessárias para fazer as cidades mais inteligentes e reduzir o impacto negativo do estilo de vida adotado nelas.

Novo Global Flex chega ao RS: Capemisa oferece facilidades para corretor e cliente 366

Companhia lançou novo produto na quinta-feira (23) em Porto Alegre (RS)

O Novo Global Flex da Capemisa Seguradora promete vir ao mercado para ficar. “É um produto que acreditamos que terá uma boa participação de mercado, pois é fácil de comercializar, de fácil acesso ao corretor e ao cliente”, destacou o Superintendente Regional Sul da companhia, Daniel Arena, durante o lançamento do produto na sede da Federação Gaúcha de Futebol, em Porto Alegre (RS), nesta quinta-feira (23). Outras cidades do Brasil também recebem o lançamento ao longo da semana.

Voltado para pequenas e médias empresas, a ferramenta foi atualizada com melhorias tanto para o corretor quanto para o cliente final. “Estamos com uma plataforma de tecnologia bem montada, em que o corretor emite, calcula e faz tudo do seu escritório, ele tem total autonomia no produto”, detalha.

Entre as principais mudanças, o produto agora conta com a inclusão de cinco novas garantias – 24 no total – como invalidez laborativa permanente total por doença, diária por internação hospitalar por acidente ou doença, diária por internação hospitalar em UTI por acidente ou doença, despesas com natalidade e afastamento por acidente de trabalho. Além disso, foi implementada uma maior flexibilidade na escolha do capital segurado, com mais liberdade ao cliente. “Nosso produto está moderno e facilitado, estando na mão do corretor, com uma entrega de apólice girando em torno de um ou no máximo dois dias”, comenta a gerente da sucursal Porto Alegre, Raquel Tólio.

A Capemisa e a Federação Gaúcha de Futebol mantém parceria através da concessão de direitos de nome da seguradora à sede da FGF, por exemplo. “A parceria entre a Capemisa e a Federação já tem quase uma década e essa ideia surgiu quando a companhia resolveu investir um pouco mais aqui no mercado gaúcho, expondo a sua marca em tudo que aparece na Federação. É uma parceria de sucesso”, conta o consultor Luciano Davi.

“Foco, resiliência e humildade” são as principais características do Corretor do Futuro 1208

Profissionais da corretagem de seguros participaram de imersão em disrupção e troca de experiências

Mais de 250 profissionais do mercado fluminense de seguros participaram, nesta quarta-feira, de um dia intenso de troca de experiências, diálogo e disseminação de conhecimento. A segunda edição do Corretor do Futuro foi promovida pela Kuantta Consultoria e contou com o apoio de Allianz, Porto Seguro, Tokio Marine, SulAmérica e Aruana Seguradora.

Henrique Brandão é presidente do Sincor/RJ
Henrique Brandão é presidente do Sincor/RJ

“Nós vendemos sinistro. Neste momento é que o cliente toma conhecimento da importância do nosso mercado. Foco, resiliência e humildade são as principais características do Corretor do Futuro”, destacou Henrique Brandão, presidente do Sindicato dos Corretores de Seguros do Rio de Janeiro.

Rodrigo Rosa é Consultor Financeiro
Rodrigo Rosa é Consultor Financeiro

O Consultor Financeiro Rodrigo Rosa apresentou estratégias para expansão de resultados e das vendas de forma descontraída. “Primeiro é preciso mudar o mindset. Livros, cursos, vídeos e otimização de tempo e energia me ajudaram a converter e canalizar isso tudo em vendas”, revelou.

Já Gerente Comercial da Porto Seguro, unidade Barra da Tijuca, Marcelo Gonzalez, abordou os desafios do papel de liderança no mercado segurador. “A pesquisa de clima é muito importante para traçar o perfil das corretoras de seguros. Será que o time dessas empresas pode ser responsável por colocá-las no futuro? Como está o engajamento desses colaboradores?”, questionou.

Flavio Rewa é Diretor Regional para o Rio de Janeiro e Espírito Santo da Allianz Seguros
Flavio Rewa é Diretor Regional para o Rio de Janeiro e Espírito Santo da Allianz Seguros

O Diretor Regional para o Rio de Janeiro e Espírito Santo da Allianz Seguros, Flavio Rewa, foi o responsável por apresentar o novo posicionamento da companhia na região. “Vemos grandes oportunidades no Rio de Janeiro, uma boa experiência para o cliente consolida um pensamento sobre produto ou serviço e queremos estar ao lado dos profissionais para desenvolver tudo isso”, argumentou. Quem também participou deste momento especial foi o especialista em gerenciamento de riscos, Gustavo Mello. Mello apresentou uma visão ímpar sobre como o planejamento é um dos maiores aliados do profissional da corretagem de seguros na garantia de excelência e satisfação dos clientes.

Omar Ajame é CEO da TEx Tecnologia
Omar Ajame é CEO da TEx Tecnologia

Disrupção e inovação também foram o foco das apresentações. O CEO da TEx Tecnologia, Omar Ajame, foi convicto em afirmar que o futuro não está definido. “Somos os criadores do Teleport e do Nimble, soluções que otimizam a operação das corretoras de seguros. O ritmo de inovação tende a continuar em franca aceleração, afinal, os consumidores estão cada vez mais exigentes e impacientes. As grandes empresas de tecnologia elevaram o nível dos negócios”, resumiu ao comemorar a marca de 20 companhias seguradoras parceiras.

Jose Luiz Dubourcq representou a Tokio Marine Seguradora
Jose Luiz Dubourcq representou a Tokio Marine Seguradora

A nova realidade do mercado de corretagem de seguros foi apresentada por Jose Luiz Dubourcq, que representou a Tokio Marine Seguradora na ocasião. “A companhia conta com mais de 140 anos de experiência e os esforços estão concentrados nos pilares do empreendedorismo digital, foco nas vendas, marketing digital e gestão eficiente”, ressaltou ao destacar o BrokerTech, plataforma da Tokio Marine que atua na capacitação e inclusão dos profissionais da corretagem neste ambiente da era digital.

Fernando Coelho é Diretor Comercial da Marsh/JLT Brasil
Fernando Coelho é Diretor Comercial da Marsh/JLT Brasil

Fernando Coelho, Diretor Comercial da Marsh/JLT Brasil, enfatizou o prestígio em trocar experiências com os parceiros do Rio de Janeiro. “Apresentamos algumas ações que são utilizadas pela companhia. Em nível mundial o grupo está investindo bastante energia no capital humano, para extrair de cada um que tem de melhor de cada colaborador. O foco está no diálogo e na otimização de recursos, sempre lembrando de compliance, processos e transparência”, completou.

O professor José Renato de Miranda
O professor José Renato de Miranda

Autor de obras como Egoísmo Saudável, Empresa Familiar – é sim – um Bom Negócio e Gestão & Marketing como uma agressiva solução para levar a sua empresa ao futuro, o Diretor da Consultoria de Impacto, José Renato de Miranda, enalteceu que a importância das relações humanas em um momento de hiperestimulação desencadeada pela tecnologia. “Nós não estamos conseguindo conviver conosco. Esta convivência depende do amadurecimento das relações, do diálogo e do entendimento. A tecnologia é solucionadora, decide, produz, cria e comercializa. Ainda somos humanos e somos parte da natureza”, comentou o especialista, considerado um dos 100 melhores palestrantes do Brasil.

Marco Antonio Gonçalves é Vice-Presidente do Conselho Consultivo da Mongeral Aegon
Marco Antonio Gonçalves é Vice-Presidente do Conselho Consultivo da Mongeral Aegon

A apresentação mais aguardada do dia foi a de Marco Antonio Gonçalves, Vice-Presidente do Conselho Consultivo da Mongeral Aegon. “A empresa o tempo todo busca se modernizar e criar todo ambiente necessário e adequado para que o corretor de seguros possa estar junto conosco. Um modelo de muito sucesso, que desenvolve profissionais, e agora enfatiza no acolhimento dos especialistas em corretagem na companhia. Este evento motiva muito sobre a troca de ideias, estamos construindo o futuro no presente e debater é importante para a construção de caminhos mais promissores para os corretores, seguradora e segurados”, explicou.

Arley Boullosa é Diretor da Kuantta Consultoria e de Ensino Técnico do Sincor-RJ
Arley Boullosa é Diretor da Kuantta Consultoria e de Ensino Técnico do Sincor-RJ

Responsável pela Kuantta Consultoria e Diretor de Ensino Técnico do Sincor-RJ, o professor Arley Boullosa demonstrou que o encontro superou todas as expectativas. “Aqui foram apresentados temas que despertam o interesse dos profissionais. Um dia de imersão como esses tem de ter um conteúdo muito bom. Temos reunido toda a semana corretores para trocar experiências, o profissional do futuro quer parcerias e aprender com o outro para avançar”, finalizou o também founder da Dino Marketing Digital e da Resolve Sinistro.

Em novembro acontece a terceira edição do Corretor do Futuro. Agora, o foco está no planejamento de estratégias para acelerar os resultados dos profissionais da corretagem.

2ª edição do Corretor do Futuro – Todas as imagens

A vida é cheia de previstos. Você sabe o que isso quer dizer? 204

A vida é cheia de previstos. Você sabe o que isso quer dizer?

Confira artigo de Alexandre Nogueira, Diretor de Marketing da Bradesco Seguros

A vida é uma jornada com várias fases que se apresentam com necessidades bem distintas entre si, mas que são convergentes quando falamos sobre “proteção”.

Todos nós já fomos ou conhecemos alguém que se tornou um personagem principal de uma história na qual o carro quebrou, o dente doeu, o encanamento entupiu ou que precisou fazer um exame ou procedimento de emergência. Esses “previstos” fazem parte do dia a dia das famílias. Nós não estamos no controle de todas as variáveis e isso não é uma novidade.

Você sabe o que isso quer dizer? Que é fundamental nos prepararmos para enfrentarmos esses e tantos outros momentos desafiadores que ocorrem em nossas vidas. E quem se planeja protege “o dia seguinte” de tudo que realmente é importante.

Fazer um seguro é essencialmente se planejar. O seguro permite que as pessoas e as empresas possam fazer planos, constituir famílias, adquirir bens e desenvolver negócios com mais confiança. Com a certeza de que estarão sempre amparados para prosseguir com o seu dia a dia, seus sonhos e seus projetos.

Alexandre Nogueira é Diretor de Marketing da Bradesco Seguros / Reprodução
Alexandre Nogueira é Diretor de Marketing da Bradesco Seguros / Reprodução

Neste mês de maio comemoramos uma data que já se tornou um marco para o segmento de seguros: 14 de maio, o Dia do Seguro. A Bradesco Seguros, pelo segundo ano consecutivo, busca estimular o setor e celebra a data, como uma oportunidade de popularização e estímulo ao desenvolvimento da cultura do Seguro no Brasil por meio da campanha “Quinzena do Seguro”.

O Setor ainda possui um significativo potencial de crescimento, principalmente considerando o aumento na expectativa de vida dos brasileiros, que demandarão ainda mais os produtos e serviços das Seguradoras. Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), atualmente já está acima dos 76 anos e deve superar os 81 anos em 2050, considerando que o Brasil é um dos países que envelhece com maior rapidez dentre as principais nações mundiais.

Mesmo com expectativas tão favoráveis, a conjuntura do setor é extremamente desafiadora. Isso porque, embora o mercado no Brasil ainda tenha um grande potencial de expansão, por ser um produto de fácil aquisição e de bom custo-benefício, ainda há uma questão cultural que instiga o setor a atingir mais pessoas: pouco se fala em prevenção. Nesse contexto, temos diante de nós a chance de não só atrair a atenção de futuros consumidores, como também despertar o interesse desse público que “precisa ou vai precisar” de proteção.

Vivendo diariamente esse desafio, estou certo de que os profissionais de marketing são vetores fundamentais para que o mercado de seguros adquira cada vez mais relevância na vida da população brasileira e contribua para a educação financeira no Brasil. Acreditamos que o seguro precisa estar inserido naturalmente no orçamento das famílias brasileiras por ser um item de primordial importância que garante tranquilidade no presente e para o futuro de todas as pessoas. Nós, profissionais de comunicação, temos a oportunidade e a responsabilidade de intensificarmos esse movimento por proteção.

E você, já está protegido?

Como construir uma carreira de sucesso no setor da tecnologia 240

Como construir uma carreira de sucesso no setor da tecnologia

Confira dicas essenciais para construir esta jornada

Há alguns anos, o caminho para o sucesso era um só: investir em uma carreira tradicional, como medicina, especializar-se e ficar nesse ramo a vida toda, fosse em uma clínica de exame admissional, um hospital ou mesmo um consultório regular. Entretanto, os avanços constantes da tecnologia fizeram com que esse cenário mudasse, criando novas carreiras, caminhos e potencialidades para profissionais das mais diversas áreas.

O problema é que isso nem sempre é tão simples. Como o leque de opções é maior, nem todas as pessoas que pretendem investir em uma carreira no campo da tecnologia conseguem encontrar um caminho que seja interessante e compatível com as suas habilidades. Não é raro, por exemplo, que estudantes universitários brilhantes saiam da faculdade sem nenhuma ideia de início de trajetória.

Quer aprender mais sobre isso? Então continue lendo e confira algumas dicas essenciais para construir uma carreira de sucesso no ramo da tecnologia:

Invista em qualificação técnica

Por mais óbvio que isso pareça, não custa reforçar: quem pretende construir uma carreira sólida na área da tecnologia tem que dominar o conhecimento técnico requerido por esse mercado. Afinal de contas, é praticamente impossível montar um sistema de gestão comercial sem dominar as mais diversas linguagens da programação, assim como não é viável desenvolver um algoritmo sem um mínimo de habilidades relacionadas à inteligência artificial.

Apesar de haver muitas pessoas autodidatas nesse campo, é interessante que o candidato a profissional da tecnologia passe por instituições de ensino formais. Isso, contudo, não significa que ele deva se limitar apenas à universidade, pois também é essencial que ele faça cursos livres e de extensão, de modo a ampliar ainda mais o seu conhecimento.

Trabalhe em sua inteligência emocional

Por mais importantes que as habilidades técnicas sejam, recentemente, as empresas têm passado a preferir profissionais que também dominem as chamadas soft skills, como inteligência emocional e relações interpessoais. Afinal de contas, de nada adianta ter um empregado brilhante sob o ponto de vista técnico se ele não souber trabalhar em equipe e, tampouco, administrar as suas emoções.

Para que um profissional tenha o perfil desejado pelas empresas, também é interessante que ele invista em qualificações neste sentido. Passar por um treinamento de liderança, por exemplo, é uma ótima ideia. Como líderes têm que ter um excelente trato com pessoas dos mais diversos perfis, esta é uma excelente oportunidade de desenvolver tal habilidade, o que envolve posturas como:

  • Comunicação não violenta;
  • Capacidade de análise do próprio comportamento;
  • Exercício da empatia;
  • Capacidade de trabalhar bem sob pressão.

Deste modo, qualquer profissional se torna instantaneamente mais valioso para toda e qualquer empresa.

Esteja sempre atualizado

Há quem diga que, tendo em vista a velocidade dos avanços na área da tecnologia, é praticamente impossível manter-se sempre atualizado a respeito deles. É por conta disso que empresas têm que realizar procedimentos como o teste de impairment, pois, à medida em que novos recursos são lançados, os mais antigos perdem valor.

Ainda assim, quando uma pessoa se propõe a ser uma profissional da área, ela deve se esforçar ao máximo para estar a par das novidades do mercado, do contrário, pode ser que ela não domine uma tecnologia tida como essencial para a indústria, como uma nova linguagem de programação. Se isso acontecer, ele pode se transformar em um funcionário sem valor, e que consequentemente, terá dificuldades para se firmar no mercado de trabalho.

Crie sua própria marca pessoal

Há quem pense que a construção de uma marca é algo que só deve ser feito por quem tem uma empresa. Essa ideia é ultrapassada. Com um mercado de trabalho acirrado, como o de hoje, é fundamental que todos os profissionais que queiram se manter competitivos invistam no cultivo de sua imagem, como se eles mesmos fossem uma marca.

A boa notícia é que a tecnologia facilita muito essa tarefa. Há, por exemplo, redes sociais criadas com finalidade exclusivamente profissionais, como o LinkedIn. Nelas, é possível seguir profissionais de renome no seu campo, adicionar contatos e compartilhar e criar conteúdo relevante para a sua área. Deste modo, é possível se projetar perante pessoas que têm interesses semelhantes aos seus, o que, por sua vez, pode render convites para eventos e até mesmo indicações para vagas de emprego que não são anunciadas pelo setor de recursos humanos.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Porto Seguro e Ibmec lançam certificação em planejamento financeiro para Corretores 433

Porto Seguro e Ibmec lançam certificação em planejamento financeiro

Inscrições vão até o dia 24 de maio, aulas tem previsão para início em agosto

O Porto Seguro Vida e Previdência e o Ibmec lançaram na última semana, em Belo Horizonte, o primeiro Programa de Especialistas em Planejamento Financeiro, desenvolvido para Corretores de seguros. A iniciativa visa tornar os profissionais ainda mais preparados para oferecer a solução financeira e de proteção de renda adequada à necessidade dos seus clientes.

Wesley Andrade, responsável pela Porto Seguro em Minas Gerais, destaca a importância da parceria com a instituição de ensino para viabilizar esse projeto. “O Corretor é o protagonista na evolução do mercado de seguros de Vida e Previdência, com a nobre missão de dar dignidade às famílias. Esta iniciativa é um diferencial que estamos colocando à disposição dos corretores da Porto Seguro em Minas Gerais com o objetivo de incentivar a troca de experiências entre eles, professores e convidados, além de torná-los especialistas no assunto”.

Ao longo de 12 meses, os participantes contarão com módulos sobre Administração, Economia, Finanças, Marketing, Seguros, Tendências, Vendas e Comportamento, em formato de workshops e palestras. Os profissionais também terão a oportunidade de criar projetos atrelados ao negócio de Vida e Previdência da Porto Seguro.

As inscrições vão até o dia 24 de maio, com previsão para início em agosto. O processo seletivo está sendo conduzido pelo Ibmec em duas fases eliminatórias, a partir de questionário online de definição de perfil comportamental e entrevista.

Investimento em inovação

A novidade faz parte de uma série de ações pensadas para auxiliar nas atividades do Corretor e também nos processos para os clientes. A seguradora também lançou, no ano passado, o seu primeiro aplicativo para esses profissionais – o App Vida e Previdência, que está disponível gratuitamente no Google Play (Android) e na Apple Store (iOS). A ferramenta oferece diversas funcionalidades de apoio às vendas, e pode ser usada para realizar simulações de seguro de vida e planos de previdência individuais, fazer download de materiais sobre os produtos, entre outras funcionalidades. Dos cerca de 15 mil Corretores que trabalham com o produto, mais de 30% já aderiram à tecnologia.

Além do lançamento do app, o Porto Seguro Vida e Previdência implantou a assinatura eletrônica para contratação do seguro de vida e previdência privada. Com ela, o cliente pode assinar as propostas de onde estiver, com mais rapidez e segurança, tudo de forma eletrônica (em seu computador, tablet ou celular), sem burocracia e com a mesma validade jurídica. O segurado conta com guia e telas autoexplicativas e, no caso dos produtos contratados on-line, as orientações já estão visíveis na própria tela de contratação.