Congresso dá sinal verde a nova Frente Parlamentar Mista de Segurança Contra Incêndio 884

Congresso dá sinal verde a nova Frente Parlamentar Mista de Segurança Contra Incêndio

Proteger patrimônios históricos, culturais, públicos e privados está entre as prioridades do movimento, liderado pelo deputado federal Guilherme Derrite (PP-SP)

A Frente Parlamentar Mista de Segurança Contra Incêndio (FPMSCI) continuará suas atividades na nova legislatura. O anúncio do reinício das atividades aconteceu no último dia 19, no salão nobre da Câmara dos Deputados, em Brasília. Com o retorno aos trabalhos, uma das prioridades da Frente presidida pelo deputado federal Guilherme Derrite (PP-SP) será o aprimoramento da proteção contra incêndios no Brasil, que inclui patrimônios históricos, culturais, públicos e privados. Além de atuar como vice-líder na Câmara, o parlamentar tem longa experiência na Polícia Militar e Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo.

“As tragédias do Museu Nacional, do Flamengo e Hospital Badin evidenciaram fragilidades nos sistemas de proteção de incêndio de patrimônios históricos e instituições privadas. Precisamos continuar avançando com uma agenda propositiva que traga proteção concreta à sociedade”, pontua Marcelo Lima, coordenador do Conselho Consultivo da Frente e diretor geral do Instituto Sprinkler Brasil (ISB). “A presidência do Guilherme Derrite deve representar um reforço dos resultados da Frente. Estamos bastante otimistas com a chegada dele e convictos de que ele ajudará, e muito, nessa vocação que temos de buscar melhores e mais eficientes mecanismos de prevenção e combate a incêndios, e isto passa pela estruturação de um arcabouço robusto incluindo aperfeiçoamentos em políticas públicas e normas complementares à Lei Kiss”, completa.

A Frente também vislumbra frentes de ação convergentes. Pretende batalhar pela certificação de equipamentos e instalações de segurança, buscar melhorias na legislação contra incêndio, capacitação e qualificação específica para profissionais da área de segurança contra incêndio, além de aperfeiçoar e padronizar a coleta, inteligência e divulgação de dados de incêndios e causas no Brasil.

A FPMSCI foi criada em 2015 com o objetivo de ampliar a discussão e o debate junto à sociedade civil organizada sobre o problema de incêndios em todo o território nacional. Ao final de cada legislatura, os trabalhos da Frente são suspensos automaticamente. Para voltar à ativa, parlamentares da Câmara e do Senado Federal eleitos em 2018 deram seu apoio em assinaturas favoráveis à continuidade da Frente.

Empresas declaram preocupação com o risco de incêndio, mas ainda falta concretude e investimentos em planos de prevenção e contingência para enfrentar o problema

As empresas com operações no Brasil declaram atribuir alta relevância a riscos de incêndio para suas operações, mas é pequeno o número das companhias que já conta com os sistemas mais avançados de combate às chamas em suas instalações.

Os dados constam de pesquisa realizada pelo Instituto Ipsos junto a empresas multinacionais e de capital nacional com mais de 250 funcionários a pedido do Instituto Sprinkler Brasil, entidade sem fins lucrativos que trabalha para disseminar a cultura de sistemas de prevenção e combate a incêndios no ambiente empresarial. Foram realizadas 300 entrevistas telefônicas com o responsável ou que participa diretamente na tomada de decisão de investimentos de sistemas prediais das empresas entre os dias 01 e 28 de maio com margem de erro de 5,7 p.p. em todas as regiões do Brasil.

Os dados do levantamento mostram que 77% das empresas declaram considerar muito importante o risco de incêndio para seus negócios e que 82% dizem ter clareza do impacto que este tipo de ocorrência pode gerar para suas operações.

A pesquisa mostra ainda que 85% das companhias dizem levar em consideração as condições de prevenção a incêndio na hora de contratar um espaço (prédio ou galpão) para abrir unidades de produção ou distribuição.

No entanto por falta de legislação adequada na época de ocupação e construção, de disponibilidade de profissionais especializados e de inteligência de dados para a tomada de decisão pública e privada o levantamento mostrou que das 300 empresas entrevistadas pelo Ipsos, apenas 36% contam com proteção ativa automática para combate às chamas, chuveirinhos automáticos (sprinklers em suas instalações.

O levantamento mostrou que apenas 14% das empresas entrevistadas dizem contar com sistema deste tipo em todas as suas unidades e 22% declararam contar com o sistema em apenas algumas unidades operacionais.

O levantamento mostrou que o uso de chuveiros automáticos é maior entre as multinacionais. 48% das empresas estrangeiras, com operações no país, ouvidas pelo levantamento, disseram tê-los em suas operações. Entre as empresas nacionais, o índice é de apenas 34%.

O porte também influi na decisão. O índice de uso de sprinklers em empresas com mais de 500 funcionários é de 45%. Entre empresas menores, com 250 a 499 funcionários, o percentual é de 28%.

Gestão

“Os dados mostram que há sensibilidade para o tema, mas as empresas não estão de fato informadas sobre as condições concretas para evitar grandes incêndios, que podem afetar a sociedade e a continuidade de suas atividades”, diz Marcelo Lima, diretor-geral do Instituto Sprinkler Brasil.

As fragilidades não estão somente nas instalações. A pesquisa mostra que a gestão das empresas ainda não absorveu integralmente o risco de incêndio em seu planejamento estratégico.   O levantamento mostrou, por exemplo, que apenas 54% das empresas entrevistadas afirmam categoricamente que contam com plano estruturado de retomada de negócios em caso de incêndio. O índice é de 51% entre as empresas de capital nacional e de 65% entre as empresas multinacionais.

O controle da cadeia de suprimentos também apresenta fragilidades. A pesquisa mostra que 57% das empresas afirmam categoricamente que solicitam planos de prevenção para seus parceiros de negócios e fornecedores de insumos. Neste caso, a prática e adotada de forma mais consistente (59%) entre as empresas de capital nacional que nas multinacionais (51%).

“A maioria das empresas não vivenciou um grande incêndio e isso torna a percepção do risco um pouco distante de seu processo decisório”, avalia Lima.

O levantamento Ipsos avaliou ainda o perfil de investimentos em sistemas de combate a incêndio nas empresas. De acordo com a pesquisa, 71% dos respondentes gastam exclusivamente o previsto em lei. Apenas 22% investem acima do exigido pelas autoridades. Entre as empresas brasileiras esse índice é de 19%. Entre as multinacionais, sujeitas a controles globais mais rígidos, 35% das empresas investem acima do que prevê a legislação brasileira de prevenção e combate a incêndio.

“O Brasil vem avançando em protocolos para este tipo de risco, mas ainda há deficiências na legislação. Isso explica o investimento maior das multinacionais, que têm que prestar contas aos controladores lá fora”, avalia Lima.

A pesquisa detectou que relatos de grandes incêndios não são suficientes para mobilizar as empresas em torno da questão.  Apenas 23% das companhias entrevistadas disseram pensar em investir ou em aumentar os recursos para sistemas de combate a incêndio após grandes ocorrências.

CSP-MG é agraciado com a Medalha do Mérito Segurador 685

CSP-MG é agraciado com a Medalha do Mérito Segurador

Maior Honraria do mercado foi concedida pelo SindSeg MG/GO/MT/DF

O Clube de Seguros de Pessoas de Minas Gerais (CSP-MG) recebeu a Medalha do Mérito Segurador, conferida pelo SindSeg MG/GO/MT/DF, durante a confraternização do setor, realizada no dia 29 de novembro, no Espaço Ilustríssimo, em Belo Horizonte.

A comenda é destinada a personalidades do mercado, instituições, e membros da sociedade civil que se destacam pelo desenvolvimento do mercado de seguros.

João Paulo Mello: “honraria é a mais importante que o Clube recebeu ao longo de sua trajetória”
João Paulo Mello: “honraria é a mais importante que o Clube recebeu ao longo de sua trajetória”

Muito emocionados, o presidente do CSP-MG, João Paulo Moreira de Mello, e o vice-presidente, Sergio Prates Nogueira Filho, receberam a medalha das mãos do presidente do Sindicato das Seguradoras, Augusto Frederico Costa Rosa de Matos.

“Agradeço ao presidente e à toda diretoria por reconhecer o trabalho do Clube, cuja missão é disseminar a cultura dos seguros de pessoas no Estado e no País. Essa honraria é consequência de um trabalho sério e muito dedicado que completou nove anos. Muitas pessoas contribuíram para que chegássemos até aqui”, ressaltou Mello. E completou: “certamente o SindSeg é um dos principais incentivadores do CSP-MG desde sua fundação, junto com o Sincor-MG e a Escola de Negócios e Seguros, além das beneméritas que acreditam na instituição e a sustentam financeiramente. Estamos honrados e felizes com essa homenagem, a mais importante que recebemos ao longo da trajetória da instituição”.

Também estiveram presentes na solenidade os diretores, assessores e conselheiros do CSP-MG, entre eles Rogério Gebin, Mauricio Tadeu, José Bregunci, Hélio Loreno, Juliana Queiroz, Fernanda Machado, Landulfo Ferreira, Ronaldo Gama, Eduardo Diniz, Leandro Godinho, Giuliano Baeta, Elizabet Fonseca e Denize Pena.

Augusto Matos, presidente do SindSeg MG/GO/MT/DF, entrega a medalha ao presidente do CSP-MG, João Paulo Moreira de Mello, e ao vice-presidente da entidade, Sergio Prates
Augusto Matos, presidente do SindSeg MG/GO/MT/DF, entrega a medalha ao presidente do CSP-MG, João Paulo Moreira de Mello, e ao vice-presidente da entidade, Sergio Prates

Este ano, além do CSP-MG, o SindSeg MG/GO/MT/DF também homenageou as seguintes entidades: Clube dos Corretores de Seguros de Minas Gerais (Clubcor-MG), Associação das Agências, Assessorias e Consultorias de Seguros do Estado de Minas Gerais (Aconseg-MG), Clube da Bolinha de Minas Gerais e a Academia Nacional de Seguros e Previdência (ANSP).

Aconseg-MG prestigia confraternização da Aconseg-SP 350

Aconseg-MG prestigia confraternização da Aconseg-SP

Jader Abreu, atual presidente, e Robson Carneiro, presidente eleito da entidade mineira, participaram do evento

O recém-eleito presidente da Aconseg-MG, Robson Augusto Carneiro, e o atual presidente da entidade, Jader Pereira de Abreu Filho, prestigiaram o evento de confraternização da Aconseg-SP, que ocorreu no dia 26 de novembro, na capital paulista.

Na ocasião, foi apresentada a nova diretoria da Aconseg-SP, que será comandada, a partir de janeiro do próximo ano, pelo empresário Helio Opipari Junior. O executivo reforçou o compromisso da nova gestão “de atuar pela construção de um ambiente colaborativo, ético e de boa convivência, buscando sempre as melhores práticas do mercado”.

Robson Carneiro (presidente eleito da Aconseg-MG), José Aldalberto Ferrara (presidente da Tokio Marine Seguradora) e Jader Abreu (atual presidente da entidade), durante jantar comemorativo da Aconseg-SP / Divulgação (Aconseg-SP)
Robson Carneiro (presidente eleito da Aconseg-MG), José Aldalberto Ferrara (presidente da Tokio Marine Seguradora) e Jader Abreu (atual presidente da entidade), durante jantar comemorativo da Aconseg-SP / Divulgação (Aconseg-SP)

Jader Abreu elogiou o trabalho desenvolvido pela Aconseg-SP. “Desde sua fundação, a instituição tem colaborado de forma significativa para a evolução do mercado de assessorias. O atual presidente Marcos Colantonio e toda diretoria estão de parabéns. Que a nova gestão seja bem-sucedida em seus objetivos.”, ressaltou.

Robson Carneiro parabenizou a entidade paulistana pelo acontecimento. “Foi de grande relevância a nossa participação no jantar comemorativo da Aconseg-SP. A confraternização foi marcada pela perspectiva positiva a respeito do crescimento do mercado nos próximos anos. Em conversa com as principais lideranças das seguradoras, percebemos o otimismo de todos. Parabenizo a diretoria da entidade pelo excelente evento e desejo sucesso para os próximos anos”, enfatizou o empresário, que estará à frente da Aconseg-MG no biênio 2020/2021.

Simetria Brasil firma parceria com Sindvan 566

Simetria Brasil firma parceria com Sindvan

Instituições negociaram condições especiais para ofertar planos de saúde aos associados do Sindicato

O plano de saúde é uma das conquistas mais desejadas pelos brasileiros. Os associados do Sindicato das Empresas de Transporte de Turismo e Locação de Vans, Micro-Ônibus e Ônibus do Estado de Minas Gerais (Sindvan-MG) já podem contar com o benefício por meio da parceria exclusiva entre o Grupo Simetria Brasil, Affiance Life Administradora de Benefícios em Saúde e a operadora SAUDE Sistema.

Líder na comercialização de planos de saúde e odontológicos no mercado mineiro, a Simetria fará a distribuição do produto e o atendimento exclusivo aos associados do Sindvan.

“Com a nossa expertise no setor conseguimos negociar com a operadora descontos de até 50% na contratação do plano de saúde coletivo por adesão”, anuncia o diretor-executivo da empresa, André Beraldo de Morais.

Para Morais, a parceria possibilita “ganhos expressivos” aos trabalhadores do ramo, pois garante acesso ao benefício com preços realmente adequados à realidade dos associados.

Os interessados em aderir ao plano de saúde podem entrar em contato pelo telefone (31) 3207-8090 ou neste site.

Tokio Marine cria cobertura para carregadores de carros elétricos instalados em condomínios 690

Tokio Marine cria cobertura para carregadores de carros elétricos instalados em condomínios

Modalidades Condomínio e Residencial oferecem segurança aos equipamentos contra incêndio, danos elétricos, roubo e subtração de bens

A Tokio Marine — uma das maiores Seguradoras do País — acaba de disponibilizar, nos produtos Tokio Marine Condomínio e Tokio Marine Residencial, novas coberturas que garantem proteção a equipamentos de recarga de bateria para carros elétricos. O novo serviço está alinhado às mais novas tendências de mobilidade e a um projeto de cidade que mira em relações de consumo mais sustentáveis.

Segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), até outubro foram vendidos 7,43 mil modelos de automóveis híbridos ou elétricos no Brasil, ante 3,97 mil em todo o ano passado. Como consequência desse mercado em expansão, muitos prédios e condomínios residenciais já estão considerando a instalação de pontos de abastecimento desde a sua construção. A adequação também é considerada um diferencial para os condomínios já existentes, a fim de atender a uma demanda cada vez mais comum entre seus moradores.

“Em ambos os casos, há a necessidade de um investimento relevante para a aquisição e instalação dos carregadores, que, por consequência, demandam proteção. Trata-se de um patrimônio comum dos condôminos que diferencia o empreendimento e, a longo prazo, pode trazer conforto e praticidade aos moradores”, explica Arnaldo Bechara, Diretor de Precificação e RD Massificados da Tokio Marine.

A partir de agora, tanto as apólices vigentes quanto as novas apólices do Tokio Marine Condomínio e Tokio Marine Residencial oferecem proteção contra incêndio, danos elétricos, roubo e subtração de bens, sem nenhum custo adicional aos Segurados. “São 50 mil condomínios e 250 mil residências em nossa carteira que já podem se beneficiar com mais essa proteção”, completa Bechara.

Uma curiosidade, que comprova a proximidade da Tokio Marine com seus Corretores e a visão da Companhia para a inovação em seus produtos, é sobre como o serviço passou a ser estudado para inclusão no portfólio da Seguradora. A ideia partiu de um Parceiro de Negócios que já atendia um condomínio com a instalação do equipamento. “Isso mostra como estamos próximos dos Corretores e das Assessorias e, de fato, o quanto levamos em consideração suas avaliações. Eles são os agentes mais próximos dos Clientes, capazes de identificar com maior facilidade as necessidades diárias que se apresentam e é nosso compromisso desenvolver soluções cada vez mais aderentes, que muitas vezes antecipam demandas futuras de mercado”, ressalta o executivo.

IESS reúne especialistas para debater LGPD e telessaúde no Brasil 768

IESS reúne especialistas para debater LGPD e telessaúde no Brasil

Encontro acontece nesta quarta-feira, em São Paulo

O Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) realiza o seminário “Transformação Digital na Saúde” nesta quarta-feira (11 de dezembro), a partir das 8h30min, no hotel Tivoli Mofarrej (Al. Santos, 1.437), em São Paulo. O evento reunirá alguns dos maiores especialistas do País para debater os impactos da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) na saúde e o potencial de transformação das novas tecnologias em telessaúde.

Confira a lista de debatedores:

• Camilla Jimene, sócia da Opice Blum Advogados e professora do MBA de Direito Eletrônico da Escola Paulista de Direito (EPD)

• Dr. Carlos Alfredo Lobo Jasmin, diretor da Associação Médica Brasileira (AMB)

• Dr. Chao Lung Wen, professor líder do grupo de pesquisa de telemedicina da Universidade de São Paulo (USP)

• Leandro Fonseca, diretor presidente da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)

• Dr. Sidney Klajner, presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein

• José Cechin, ex-ministro da previdência e superintendente executivo do IESS

Durante o evento, também será realizada a cerimônia solene de entrega do IX Prêmio IESS de Produção Científica em Saúde Suplementar, com apresentação dos avaliadores (Dr. Alberto Ogata, diretor da Associação Brasileira de Qualidade de Vida (ABQV); Antonio Carlos Campino, professor da Universidade de São Paulo (USP); e, Luiz Felipe Conde, advogado sócio do escritório Conde & Advogados sobre a aplicabilidade dos estudos laureados.

Confira a programação completa:

8h30min – Welcome coffee

9h00 – Abertura

José Cechin, superintendente executivo do IESS

9h20 – Apresentação dos vencedores do IX Prêmio IESS de Produção Científica em Saúde Suplementar

Dr. Alberto Ogata, diretor da Associação Brasileira de Qualidade de Vida (ABQV) e avaliador da categoria Promoção da Saúde, Qualidade de Vida e Gestão da Saúde

Antonio Carlos Campino, economista, professor da Universidade de São Paulo (USP) e avaliador da categoria Economia

Luiz Felipe Conde, advogado sócio do escritório Conde & Advogados e avaliador da categoria Direito

9h50 – Coffee break e exposição de pôsteres

10h30 – Palestra 1 – Transformação digital na saúde e impactos da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD)

Camilla Jimene, sócia da Opice Blum Advogados e professora do MBA de Direito Eletrônico da Escola Paulista de Direito (EPD)

11h00 – Palestra 2 – Telessaúde e telemedicina: desafios para uma nova era de cuidados

Dr. Chao Lung Wen, professor líder do grupo de pesquisa de telemedicina da Universidade de São Paulo (USP)

11h30 – Debate – Uma visão integrada dos desafios da transformação digital na saúde

Debatedores:

Camilla Jimene

Dr. Carlos Alfredo Lobo Jasmin, diretor da Associação Médica Brasileira (AMB)

Dr. Chao Lung Wen

Leandro Fonseca, diretor presidente da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS)

Dr. Sidney Klajner, presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein

Mediação: José Cechin

12h30 – Encerramento