Corretor de seguros: um solucionador de problemas 2173

Marcos Trevisan, da Sustentare, é destaque em live do Clube da Pedrinha RS

Co-Fundador da Sustentare Seguros participou de Live do Clube da Pedrinha (RS)

Na última segunda-feira (26), o Clube da Pedrinha em Seguros (RS) realizou uma live no Instagram dedicada ao Mês do Corretor de Seguros. Quem participou do momento, mediado pela presidente do Clube, Suellen Farias, foi o Co-Fundador da Sustentare Seguros, Marcos Stock Trevisan. Durante o bate-papo, o executivo revelou a trajetória de muito trabalho e dedicação aos projetos em que esteve e está envolvido. “Sempre fui muito simples, mas sempre dedicado por onde eu passava. Hoje em dia a impressão que alguns jovens passam é que primeiro uma empresa precisa mostrar o que vai dar para depois o funcionário mostrar o que vai fazer e eu venho de uma geração muito diferente, onde a gente fazia para manter aquilo que a gente tinha e também sequer esperava subir para um cargo acima. Quando trabalhei na indústria chegava a dobrar meu salário com horas extras aos sábados e domingos”, exemplificou.

O executivo demonstrou em diversos momentos do bate-papo gratidão por aqueles que passaram em seu caminho. Em especial, a esposa: “Estamos juntos há 18 anos. Ela é minha companheira, minha parceira de negócios, minha confidente, amo ela”, disse emocionado.

Trevisan comentou que sempre teve muita tranquilidade para lidar com adversidades e contou sobre a época em que fez a transição para o empreendedorismo. “Não tenho receio hoje em dia de dizer quando algo não é agradável para mim. Esse é um grande ensinamento e procuro passar isso a todos que estão ao meu redor. Muitas vezes você se priva de certas coisas para não entrar em uma situação desgastante e isso acaba ficando guardado só para você. Se você não diz aquilo que te desagrada com o outro não tem como a pessoa adivinhar. Naturalmente, cada um vê seu lado da disputa”, disse o entrevistado ao enfatizar o papel dos bons professores que passaram em sua trajetória. “Quando você trabalha com pessoas acima de seu nível você cresce e eu tive a sorte de encontrar sócios que colaboraram muito”, completa.

Antes de formar a Sustentare com os demais sócios da rede de corretores, Marcos Stock Trevisan trabalhou com uma operação própria de corretagem. “Havia uma disparidade muito grande para com as corretoras maiores. Depois de um certo tempo alguns amigos comentaram que estavam realizando a junção de algumas operações em uma rede de cooperação. Ainda assim havia aquela grande dificuldade nas negociações com as seguradoras, pois até então não era um CNPJ único. Embora a ideia fosse muito boa financeiramente não trazia benefícios. Aí parte das pessoas começou a sair e a montar uma corretora única. Foi assim que surgiu a Sustentare, em 2007. Todos abdicaram de suas corretoras, mas o que mais importa é o profissional – uma vez que ele forma sua própria carteira de clientes”, ressaltou ao celebrar os 13 anos de sucesso das operações da Sustentare.

“Estamos sempre agregando benefícios e incorporando facilidades para tornar o projeto cada vez mais atrativo. Tenho muito amor pela minha profissão e me considero um solucionador de problemas. A profissão de corretor de seguros oferece grandes oportunidades, principalmente pelo fato de você poder zelas por algo valioso para seu cliente. Tenho um carinho extremo pela corretagem porque entendo que fazemos diferença na vida das pessoas quando elas mais precisam. Me encontrei na profissão e hoje não me vejo fazendo outra coisa”, encerrou Marcos Stock Trevisan.

Assista ao bate-papo completo:

 

Ver essa foto no Instagram

 

Marcos Trevisan

Uma publicação compartilhada por Clube Da Pedrinha RS (@clubedapedrinhars) em

Via Direta Corretora de Seguros lança nova marca 416

Jefferson Floriano é CEO da Via Direta / Divulgação

São 25 de atuação no mercado

Com 25 anos de atuação no mercado, a Via Direta Corretora de Seguros, além de comemorar sua trajetória com uma nova identidade visual, foca num relacionamento mais próximo com seus segurados dentro de um processo de agilidade e inovação no ambiente digital, oferecendo soluções adequadas nos ramos de Automóveis, Patrimoniais, Vida e Saúde.

O conceito criativo com um canguru na imagem traz a opção pelas cores laranja e cinza, onde a cor laranja representa otimismo, vitalidade, alegria, prosperidade e sucesso e o cinza significa equilíbrio, autoridade, estabilidade e segurança.

De acordo com o CEO da Via Direta, Jefferson Floriano, a nova marca gera a compreensão de toda transformação consolidada nesses 25 anos de história. “Mudar a marca faz parte da estratégia de mostrar aos nossos clientes e parceiros, todas as mudanças que passamos relacionadas ao nosso modelo de negócios. Desbravar o mercado é o que nos move. E a formulação usando o canguru, quer demonstrar tudo que ele representa no seu habitat natural, como por exemplo: força, agilidade, sociabilidade e proteção. Queremos que os nossos clientes se identifiquem com o nosso perfil, evoluindo na consolidação da marca, agregada a uma parceria de verdade”, explica.

Vice-Presidente Jurídico da Prudential do Brasil participa de live promovida pela ABF 419

Franqueada da Prudential superou perdas pessoais e fez dos negócios um novo propósito

Antonio Rezende ressaltou a importância de olhar sempre para a transparência do negócio, visando o fortalecimento constante do setor de franquias no Brasil

O Vice-Presidente Jurídico da Prudential do Brasil, Antonio Rezende, participou, na última sexta-feira, 09 de abril, da Live promovida pela Associação Brasileira de Franchising (ABF) em comemoração ao primeiro ano da Nova Lei de Franquias. Com apresentações especiais de nove painéis, o evento virtual fez um balanço dos desafios jurídicos e das transformações trazidas pela nova regulamentação.

“A Nova Lei de Franquias, em vigor desde 2020, e a relevância da conformidade da COF e contratos aos seus termos, trazem maior transparência e ampliam a segurança jurídica para ambos os lados: franqueador e franqueado”, destacou Antonio durante a apresentação do painel “O reflexo da pandemia no dever de informação do franqueador – Circular de Oferta de Franquias”.

No painel que participou, foram comentadas algumas das informações que deverão constar na COF, dentre elas: informações relativas à política de atuação territorial; total estimado do valor de investimento inicial necessário à aquisição; implantação e entrada em operação da franquia; relação completa de todos os franqueados; subfranqueados e subfranqueadores da rede, e também dos que se desligaram nos últimos 24 meses, com respectivos nomes, endereços e telefones; e incorporação de inovações tecnológicas às franquias.

O executivo encerrou a apresentação com o compromisso da Prudential do Brasil com o dever da informação e transparência posto em prática e os primeiros resultados alcançados. Somente neste primeiro ano, a seguradora refletiu a nova lei aos seus contratos e COF, disponibilizou um Guia Rápido de Franquia; implantou formulários digitais e o Aceite Digital, gerando praticidade para as Franquias no trato comercial com os clientes; realizou três lives com executivos para apresentação do novo modelo de franquia para a rede de franqueados; promoveu 42 salas temáticas virtuais interativas sobre sete diferentes assuntos, entre outras ações.

A Prudential do Brasil é associada da ABF, uma parceria que atesta e reforça o êxito do nosso modelo de negócio. Para saber mais sobre a franquia da Prudential, acesse este endereço.

Um gigante adormecido desperta: integração direta no mercado global de seguros de vida 425

Um gigante adormecido desperta: integração direta no mercado global de seguros de vida

Confira artigo de Robin Wagner, Vice-Presidente da vertical International de Seguros da TransUnion

Robin Wagner é Vice-Presidente da vertical International de Seguros da TransUnion / Divulgação
Robin Wagner é Vice-Presidente da vertical International de Seguros da TransUnion / Divulgação

Em todo o mundo, o setor de seguros de vida tem demorado a evoluir, colocando-o em desacordo com o setor bancário, o seguro de curto prazo e o setor de varejo. Para avançar e crescer na era digital, o segmento de “vida” deve reinventar a forma como interage com os consumidores. Um processo de aplicação e cotação mais simplificado, que requeira menos intervenções, pode mudar o tempo de resposta de dias para horas – potencialmente minutos, criando uma jornada interessante para que as empresas diferenciem seus serviços e criem fortes vantagens competitivas.

Com aproximadamente US$ 3 trilhões em receita bruta anual, o setor de seguros global oferece uma variedade de políticas e combinações de produtos, vendidas por meio de extensos canais de distribuição: cerca de 52% dos seguros de vida globais são vendidos via bancos, enquanto corretores, consultores financeiros e uma pequena parcela dos vendedores diretos vendem o restante.

O crescimento da indústria é morno, menos de 1% globalmente. Enquanto o tamanho da indústria limita seu ritmo de expansão, o crescimento também é retardado pelos sistemas obsoletos e pelo tempo de resposta demorado, o que deixa esse mercado atrás de FinTechs, serviços bancários, financeiros e de seguros em geral.

Infraestruturas herdadas e uma experiência do cliente ultrapassada

Nos EUA, o tempo médio de resposta entre a solicitação e o recebimento de uma apólice de vida é de aproximadamente 27 dias. Outros países não são muito melhores, com tempos de resposta de 3 a 5 semanas, dependendo do nível de subscrição necessário. O processo de integração simplesmente não corresponde às necessidades dos consumidores modernos e é repleto de incertezas e ansiedade – mesmo preenchendo um formulário, você não tem ideia se vai receber a apólice ou não.

Os formulários de inscrição estão repletos de perguntas onerosas e, em muitos casos, o requerente também exige exames médicos. Em uma era de análises preditivas poderosas e tecnologias inteligentes, a indústria de seguros de vida ainda depende de tabelas atuariais para determinar o risco, bem como de outros pontos de dados tradicionais, incluindo a localização geográfica e o estado civil do requerente. Após isso vem uma análise médica.

E o processo não termina no registro do formulário. Até hoje, algumas seguradoras aceitam formulários de requerimento de óbito (e seus numerosos documentos de suporte) apenas por fax. Toda a experiência do cliente (CX) desse setor não mudou com o tempo e não corresponde ao que eles esperam quando estão comprando um produto ou um conjunto de serviços.

Reinventando a jornada do CX (Customer Experience)

A jornada de integração do setor de seguros de vida está pronta para reinvenção. Para que o setor avance e se modernize digitalmente, ele precisa transformar o onboarding dos clientes, devendo tornar a jornada mais amigável e muito mais curta, se não instantânea.

É por isso que vemos empresas de seguros de vida imitando a experiência do varejo. Elas estão configurando diferentes marcas e franquias nas quais os clientes podem entrar, escolher sua apólice em uma prateleira (por assim dizer) e comprá-la. Elas estão usando a tecnologia para preencher automaticamente formulários de inscrição e extrair dados de terceiros, com o objetivo de executar verificações básicas de risco e acessibilidade.

A fraude é sempre uma questão importante no setor de seguros. À medida que as seguradoras se digitalizam, passam para interações 100% digitais e aceleram seus processos de integração, há uma preocupação de que a facilidade de acesso à compra também facilite a simulação de identidades por fraudadores.

A chave é alavancar novas tecnologias para criar proteções robustas, mantendo uma experiência correta. A próxima era dos serviços digitais, incluindo proteção contra fraudes e gerenciamento de identidades, será definida pela integração de tecnologias inteligentes como AI e ML com Big Data. As soluções integradas representam o próximo passo nesta evolução das melhores práticas, reunindo várias tecnologias disruptivas para oferecer um novo nível de benefícios para os consumidores e os negócios.

Hoje, os bancos que implementaram isso são capazes de coletar e processar todas as informações necessárias, além de tomar uma decisão de crédito em minutos, com apenas alguns toques na tela. Esse tipo de integração e gerenciamento ininterrupto do cliente está ocorrendo em uma ampla gama de setores, incluindo seguros. As empresas que tirarem melhor proveito dessas soluções surgirão como novos líderes e como marca favorita entre os consumidores, da mesma maneira que Amazon e Uber.

O papel dos dados na transformação do CX

Uma abordagem aprimorada e modernizada é que as seguradoras passem a usar dados alternativos e de crédito para avaliar o risco relativo associado ao indivíduo no momento da aplicação, antes mesmo do início do processo de subscrição. Em vez de sujeitar os clientes a uma série de perguntas e testes e causar atrasos, as seguradoras de países como os EUA usam dados alternativos para criar scores iniciais, que fornecem uma visão instantânea dos comportamentos de um consumidor e outros indicadores mensuráveis ao longo do tempo. Com essa iniciativa, somada a parâmetros de risco definidos, são criadas jornadas diretas de subscrição simplificadas, que sinalizam um candidato como de menor risco, eliminando a necessidade de mais dados; ou de maior risco, exigindo mais requisitos antes da aprovação ser concedida.

A modernização dos negócios de seguros de vida está começando a gerar fortes melhorias no CX e no desempenho financeiro. Por exemplo, depois de trabalhar com a TransUnion, uma seguradora na Índia, que implementou avaliações baseadas em dados em seus processos de integração entre 2018 e 2019, vendeu 60% mais apólices e subscreveu 60% mais prêmios que seus concorrentes – o maior crescimento em qualquer portfólio do mercado indiano. Em pouco tempo, eles subiram para o número dois no ranking em termos de tamanho de carteira. Dessa maneira, podemos observar que eliminar processos de integração complicados, melhorar o CX e diminuir as taxas de abandono do consumidor oferece enormes ganhos potenciais ao setor.

A avaliação de risco orientada por dados está permitindo que uma nova gama de aplicações seja processada diretamente e que mais apólices sejam vendidas on-line, no setor de seguros de vida. Isso não significa, necessariamente, substituir canais intermediados de distribuição: a mesma tecnologia pode ser usada pelos corretores para capturar informações digitalmente e informar aos clientes, em tempo real, se eles receberam uma apólice ou não.

Uma perspectiva emocionante

A transformação digital no processo de integração do seguro de vida tem um enorme potencial. As tecnologias baseadas em dados não apenas resolverão as fraudes e os riscos de maneira mais eficiente, mas também melhorarão significativamente o CX, impulsionarão a eficiência e criarão novas oportunidades de crescimento para o setor. As empresas que apostam em tecnologia e inovam se diferenciam das demais e, rapidamente, criam vantagens estratégicas.

TruValidate da TransUnion oferece uma plataforma completa de soluções para empresas, incluindo identificação, transmissão, verificações de fraude, análises/modelos e autenticação aprimorada.

Integração perfeita da TransUnion

A TransUnion conta com um sofisticado portfólio de soluções com foco em transformação digital para a indústria de seguros. Ajudamos as seguradoras a entregar uma jornada de sucesso durante a experiência do cliente, nos diferentes momentos de contato dentro da cadeia de valor de seguros. Fazemos isso reduzindo os pontos de atrito na experiência do consumidor, garantindo fluidez nos processos, sem abrir mão da capacidade de analisar o risco e mitigar riscos de fraude.

Customer Experience, ajudando seguradoras a entregar jornadas fluidas, sem interrupções, com um mínimo de atrito na experiência do consumidor.

*Robin Wagner, Vice-Presidente da vertical International de Seguros da TransUnion atua há mais de 25 anos no segmento de soluções de dados na África do Sul. Alguns destaques são: o desenvolvimento do primeiro sistema automatizado de avaliação de propriedades, a plataforma de decisão espacial que definiu o modelo de distribuição para o primeiro operador de loterias e o modelo de planejamento de rede que inspirou a expansão da rede de agências para Toyota e VW. Sua busca por dados de consumo mais ricos e profundos levou-o ao bureau de crédito da TransUnion em 2006, onde Robin promoveu a especialização por verticais.  Sob sua gestão, a TransUnion alcançou significativo crescimento no setor de seguros, incluindo a penetração do modelo baseado em scores de crédito em todos os processos de subscrição de curto prazo na África do Sul. Ele faz parte do conselho do Comitê de Dados de Seguros da África do Sul, gerenciou o estabelecimento do banco de dados de sinistros e coberturas da África do Sul e é um defensor apaixonado da qualidade dos dados de seguros. Robin agora gerencia todos os mercados de seguros fora dos EUA para a TransUnion, que inclui: Brasil, Índia, África do Sul, Canadá, Colômbia, México, Hong Kong e Reino Unido.

Graduação em Gestão de Seguros da ENS terá turmas no 2º semestre 375

Graduação em Gestão de Seguros da ENS terá turmas no 2º semestre

Indústria seguradora é uma das mais promissoras e resilientes da economia brasileira

O crescimento de 3,6% verificado em janeiro deste ano, de acordo com dados da síntese mensal do mercado divulgada pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), mantém a indústria de seguros como uma das mais promissoras e resilientes da economia nacional, mesmo em meio à pandemia do novo coronavírus.

Essa importante expansão apresentada pelo setor revelou como preferência dos consumidores as coberturas nos segmentos de vida, residencial e de transporte de cargas. Para se capacitar para atuar em um mercado com múltiplas possibilidades, um dos programas ofertados pela ENS é a Graduação Tecnológica em Gestão de Seguros.

Com inscrições abertas para formação das turmas do segundo semestre, o curso prepara os alunos para exercer funções de supervisão de equipes comerciais e técnicas na área de seguros, fazer análises de bens a serem segurados e desenvolver planos e contratos de seguros.

O programa tem duração de dois anos e carga de 1.600 horas, divididas entre disciplinas como Gestão Estratégica de Seguros; Direito Aplicado ao Seguro; Economia e Mercado Global; Gestão Comercial de Seguros; Tomada de Decisão em Seguros; e Gestão de Projetos.

A graduação também oferece aos egressos gratuidade para prestar o Exame para Habilitação de Corretores de Seguros, aplicado pela ENS. Caso aprovado, o aluno terá mais uma formação para expandir seu ramo de atuação.

Processo seletivo e descontos progressivos

As aulas do segundo semestre estão previstas para começar em agosto. Há vagas para as modalidades online e presencial, com turmas no Rio de Janeiro (RJ) e em São Paulo (SP). Os processos seletivos serão realizados de forma remota, em decorrência da pandemia da Covid-19.

Matriculados até 31 de maio recebem 40% de bolsa de estudos. Para quem garantir presença até 30 de junho, a bolsa será de 30%; e, para inscrições até 31 de julho, o desconto no valor integral do curso será de 20%. Esses benefícios valem apenas para as turmas presenciais do Rio de Janeiro e de São Paulo, com aulas remotas.

Os interessados devem acessar o site Profissão Segura para mais informações e inscrições.

Porto Alegre: Cyrela Goldsztein entrega praça revitalizada no Quarto Distrito 454

Porto Alegre: Cyrela Goldsztein entrega praça revitalizada no Quarto Distrito / Divulgação/Júlio Andreatta

Mais de R$ 2 milhões foram investidos na região

A Cyrela Goldsztein entrega um novo espaço verde e recreativo aos porto-alegrenses este mês. A praça Júlio Andreatta, no Quarto Distrito, passou por revitalização ao longo dos últimos oito meses e agora conta com academia ao ar livre, playground, dogplay e áreas de estar mais atraentes e confortáveis.

O projeto inclui pintura artística circundada por arquibancada contemplativa já existente no local. Um desenho colorido, com formas geométricas, confere ao local, antes cinza e deteriorado, um ar descolado e contemporâneo. A inspiração veio da arte de rua e do muralismo. A referência principal são as verdadeiras obras de arte instaladas nas quadras em praças dos Estados Unidos, como a encontrada no Parque Sara D. Roosevelt em Nova York.

A incorporadora também finalizou as obras de melhorias da praça São Geraldo, localizada na mesma região da cidade. Inaugurado em janeiro, o espaço tem playground, play lúdico com minicidade, quadra de futebol, área recreativa, quadra de beach tennis com cercamento, quadra poliesportiva e áreas de convivência.

As duas praças estão próximas e se complementam, de acordo com o arquiteto e paisagista responsável Daniel Dillenburg. A praça Júlio Andreatta está mais voltada ao lazer e ao convívio. Já a praça São Geraldo, pela extensão e pelo fato de abrigar a Escola São Geraldo em seu perímetro, tem vocação de complexo esportivo.

“Em comum entre elas está o fato de serem espaços completamente abandonados que ganharam nova identidade e passam a atrair a atenção dos moradores de todas as idades”, salienta Dillenburg. O arquiteto e paisagista também assinou a revitalização dos playgrounds do Parque da Redenção – obra realizada pela Cyrela Goldsztein no ano passado.

Os parques públicos são vizinhos do Prime Wish, empreendimento da empresa lançado no início de 2020. A incorporadora investiu cerca de R$ 2 milhões em melhorias na região, através de um termo de compromisso com a prefeitura de Porto Alegre. Além das praças foram realizadas benfeitorias nas escolas Passarinho Dourado e Patinho Feio.

O CEO da Regional Sul da Cyrela, Rodrigo Putinato, diz que as melhorias nas áreas de lazer contribuem com a valorização da região e trazem mais qualidade de vida a quem mora no bairro. “Reformados e atualizados, os parques se integram ao dia a dia da cidade. Qualificar a infraestrutura no entorno dos empreendimentos é um compromisso da Cyrela. O Quarto Distrito de Porto Alegre está passando por uma grande revitalização e temos muito orgulho em fazer parte dessa história”, afirma Putinato.

Antes

Divulgação/Júlio Andreatta
Divulgação/Júlio Andreatta
Divulgação/Júlio Andreatta
Divulgação/Júlio Andreatta
Divulgação/Júlio Andreatta
Divulgação/Júlio Andreatta
Divulgação/Júlio Andreatta
Divulgação/Júlio Andreatta

Depois

Divulgação/Júlio Andreatta
Divulgação/Júlio Andreatta

Prime Wish

No centro das inovações do Quarto Distrito, a Cyrela lançou o Prime Wish no início de 2020. O empreendimento fica na Avenida Ceará, com fácil acesso às principais vias da cidade, uma das características do bairro. Serão 167 unidades com plantas com 2 e 3 dormitórios de 56m² e 67m², respectivamente, e opções com living estendido.

Todos os apartamentos terão planta diferenciada com suíte, churrasqueira integrada à cozinha e sala de jantar, além de pontos de tomada USB e dormitórios entregues com piso laminado. No condomínio, as opções de lazer serão completas com piscinas adulto e infantil, deck molhado com gazebo, salão de festas, espaço gourmet com lounge externo, churrasqueira, quadra recreativa, espaço fitness equipado, brinquedoteca, playground e sala de jogos.

O Quarto Distrito atraiu empresas e fábricas pela localização estratégica próxima de bairros como Moinhos de Vento e Higienópolis. Nos últimos dez anos, com a ida das indústrias a zonas periféricas da capital, a região, com uma arquitetura quase intocada, modificou seu DNA. Atualmente é reconhecida pelo crescente desenvolvimento e por estar perto dos principais parques e bairros de Porto Alegre, com possibilidade de chegar ao Aeroporto ou ao centro sem trânsito e em poucos minutos. As indústrias deram espaço aos restaurantes, bares e espaços de lazer, centros culturais e tecnológicos.