Corretor de seguros: um solucionador de problemas 2295

Marcos Trevisan, da Sustentare, é destaque em live do Clube da Pedrinha RS

Co-Fundador da Sustentare Seguros participou de Live do Clube da Pedrinha (RS)

Na última segunda-feira (26), o Clube da Pedrinha em Seguros (RS) realizou uma live no Instagram dedicada ao Mês do Corretor de Seguros. Quem participou do momento, mediado pela presidente do Clube, Suellen Farias, foi o Co-Fundador da Sustentare Seguros, Marcos Stock Trevisan. Durante o bate-papo, o executivo revelou a trajetória de muito trabalho e dedicação aos projetos em que esteve e está envolvido. “Sempre fui muito simples, mas sempre dedicado por onde eu passava. Hoje em dia a impressão que alguns jovens passam é que primeiro uma empresa precisa mostrar o que vai dar para depois o funcionário mostrar o que vai fazer e eu venho de uma geração muito diferente, onde a gente fazia para manter aquilo que a gente tinha e também sequer esperava subir para um cargo acima. Quando trabalhei na indústria chegava a dobrar meu salário com horas extras aos sábados e domingos”, exemplificou.

O executivo demonstrou em diversos momentos do bate-papo gratidão por aqueles que passaram em seu caminho. Em especial, a esposa: “Estamos juntos há 18 anos. Ela é minha companheira, minha parceira de negócios, minha confidente, amo ela”, disse emocionado.

Trevisan comentou que sempre teve muita tranquilidade para lidar com adversidades e contou sobre a época em que fez a transição para o empreendedorismo. “Não tenho receio hoje em dia de dizer quando algo não é agradável para mim. Esse é um grande ensinamento e procuro passar isso a todos que estão ao meu redor. Muitas vezes você se priva de certas coisas para não entrar em uma situação desgastante e isso acaba ficando guardado só para você. Se você não diz aquilo que te desagrada com o outro não tem como a pessoa adivinhar. Naturalmente, cada um vê seu lado da disputa”, disse o entrevistado ao enfatizar o papel dos bons professores que passaram em sua trajetória. “Quando você trabalha com pessoas acima de seu nível você cresce e eu tive a sorte de encontrar sócios que colaboraram muito”, completa.

Antes de formar a Sustentare com os demais sócios da rede de corretores, Marcos Stock Trevisan trabalhou com uma operação própria de corretagem. “Havia uma disparidade muito grande para com as corretoras maiores. Depois de um certo tempo alguns amigos comentaram que estavam realizando a junção de algumas operações em uma rede de cooperação. Ainda assim havia aquela grande dificuldade nas negociações com as seguradoras, pois até então não era um CNPJ único. Embora a ideia fosse muito boa financeiramente não trazia benefícios. Aí parte das pessoas começou a sair e a montar uma corretora única. Foi assim que surgiu a Sustentare, em 2007. Todos abdicaram de suas corretoras, mas o que mais importa é o profissional – uma vez que ele forma sua própria carteira de clientes”, ressaltou ao celebrar os 13 anos de sucesso das operações da Sustentare.

“Estamos sempre agregando benefícios e incorporando facilidades para tornar o projeto cada vez mais atrativo. Tenho muito amor pela minha profissão e me considero um solucionador de problemas. A profissão de corretor de seguros oferece grandes oportunidades, principalmente pelo fato de você poder zelas por algo valioso para seu cliente. Tenho um carinho extremo pela corretagem porque entendo que fazemos diferença na vida das pessoas quando elas mais precisam. Me encontrei na profissão e hoje não me vejo fazendo outra coisa”, encerrou Marcos Stock Trevisan.

Assista ao bate-papo completo:

 

Ver essa foto no Instagram

 

Marcos Trevisan

Uma publicação compartilhada por Clube Da Pedrinha RS (@clubedapedrinhars) em

Lúcio Roca Bragança: Seguro e recuperação econômica 302

Lúcio Bragança é advogado do escritório Agrifoglio Vianna / Arquivo JRS

Confira artigo do sócio do escritório Agrifoglio Vianna – Advogados Associados

Em um cenário de pandemia, com a consequente recessão econômica, é natural um aumento na precaução, com a adoção de estratégias econômicas mais conservadoras e redução de investimentos. Por conseguinte, o contrato de seguro, enquanto instituição econômico-social de suma relevância, desempenha papel para a recuperação da economia, por seu papel institucional de redutor de incertezas e expansão da livre iniciativa: “O que o seguro tem em vista, o bem que ele oferece, como instituição, a instituição que ele se dedica, é justamente produzir este bem, este valor almejado – essencialmente almejado por todo mundo, seja qual for a sua categoria social, sua riqueza, sua natureza – que é a confiança¹”.

O aumento da confiança proporcionado pelo sistema de garantias ofertado pelo seguro favorece a retomada dos negócios e dos investimentos necessários para a superação da crise. Nesta toada, presta serviço também à Democracia, já que, como visto, uma sociedade com medo constitui ambiente fértil para o surgimento de autocracias.

Esse papel do seguro é especialmente importante no Brasil, onde ainda remanescem as características do “homem cordial” apontado Sérgio Buarque de Holanda², com a cultura do apadrinhamento, pessoalização do poder e relações sociais afiançadas por laços pessoais. Por conseguinte, pessoas e empresas menos favorecidas, destituídas de contatos que lhe emprestem confiança, deixam de depender deste critério subjetivo para prosperar, podendo se valer da impessoalidade e da objetividade apresentadas pelo seguro – sendo o exemplo mais emblemático o do seguro-fiança.

Também ganham relevância, em época de crise, todas as características do seguro que favorecem o desenvolvimento econômico e social que, segundo Steven Weisbart, podem ser sintetizados em 10 pontos, divididos em 3 segmentos: segurança, estabilidade econômico-financeira e desenvolvimento³. Na promoção da segurança, o autor aponta: 

1. Seguradores são agentes de resposta financeira imediata (enquanto ajuda governamental, ou políticas públicas, podem demorar meses ou anos, a cobertura de risco coberto ocorre em até 30 dias); 

2. A cultura do seguro mitiga o risco (seja através exigências contratuais de ajuste, seja por incentivos educacionais de comportamento).

Na promoção da estabilidade econômica/financeira, tem-se os seguintes: 

3. Seguradores protegem o capital (através do imenso volume de recursos imobilizados em reservas, os seguradores apresentam grande resistência às crises financeiras e possuem uma capacidade muito maior do que os bancos de contribuir para o PIB em meio à recessão); 

4.O Seguro complementa ou supre políticas públicas (como ocorre mais visivelmente nos seguros de saúde, renda temporária, acidentes de trabalho, previdência, etc.); 

5. Auxilia a manutenção da cadeia produtiva (mediante coberturas específicas de interrupção de fornecimento ou amplas de ressarcimentos de prejuízos);

6. Injeção de capital (ao mitigar o risco dos particulares, incentiva o investimento e reduz a necessidade de precaução e poupança).

Quanto ao desenvolvimento, vêm os 4 últimos pontos:

7. Financiamento da dívida pública (ao imobilizar grande parte de suas provisões em títulos públicos, o seguro aumenta a capacidade de investimento dos governos).

8. Promoção de obras de infraestrutura (o seguro auxilia sobremaneira a viabilizar as grandes obras – papel ainda majorado pela nova lei Lei 14.133/21 – que muitos economistas defendem ser primordial para a retomada do crescimento);

9. Favorecimento de novas tecnologias (as pesquisas de última geração, por sua novidade e imprevisibilidade de resultados, demandam especial segurança financeira);

10. Facilitação de crédito (através dos seguros-prestamistas e demais ramos de seguro-garantia).

Atualmente, o cenário regulatório nacional está especialmente favorável ao cumprimento dessas promessas, visto que o regulador promoveu uma mudança paradigmática no mercado brasileiro, com a superação do que Walter Polido chama de “supremacia dos produtos de seguros padronizados, com diferença apenas no preço”⁴. Com os seguradores livres para redigirem seus clausulados, abre-se o caminho para produtos novos e inovadores, criativos e mais arrojados – qualidades essenciais para superação de qualquer crise. Ademais, aumenta a competitividade entre as empresas, com a tendência à diversificação dos produtos e maior possibilidade de escolha pelo consumidor.⁵ Por mais desalentador que sejam os efeitos da pandemia, é reconfortador perceber que, ao menos no que  tange à seara do Seguro, o Brasil trilha um caminho inédito, de vanguarda, na direção do desenvolvimento.

Referências:

¹EWALD, François. Risco, Sociedade e Justiça. In: AAVV. VI Fórum de Direito do Seguro ‘José Sollero Filho’ – IBDS.  São Paulo: Rocarati/IBDS, 2015, p. 29.

²HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995, p. 139 e ss.

³WEISBART, Steven. How Insurance Drives Economic Growth. Disponível neste endereço. Acesso em 18 de maio de 2021.

⁴POLIDO, Walter. O “day after” à liberação dos clausulados de seguros pela Susep. Disponível neste endereço. Acesso em 18 de maio de 2021.

⁵Id., ibid.

Espetáculos patrocinados pelo Circuito Cultural Bradesco Seguros marcam presença na 8ª edição do Prêmio Bibi Ferreira 372

Alexandre Nogueira é diretor de Marketing do Grupo Bradesco Seguros / Divulgação

‘A Cor Púrpura’ e ‘Pippin’ concorrem em dez categorias diferentes

Como uma organização que preza pela promoção da cultura, a Bradesco Seguros patrocina dois dos principais espetáculos indicados ao 8º Prêmio Bibi Ferreira. ‘A Cor Púrpura’ e ‘Pippin’ estão concorrendo em dez categorias no campo técnico e de equipe criativa na edição deste ano. A premiação acontecerá em formato digital, diretamente do Teatro Sérgio Cardoso, em agosto. Todos os profissionais concorrentes acompanharão a cerimônia por vídeo.

O musical ‘A Cor Púrpura’, baseado no livro homônimo de Alice Walker, é o líder de indicações ao prêmio, concorrendo em oito categorias, com destaque para Melhor Musical; Melhor Adaptação – realizada pelo jornalista Arthur Xexéo -; e Melhor Atriz de Musical – com indicação da atriz Letícia Soares, que deu vida a Celie na adaptação brasileira. Já o espetáculo ‘Pippin’ figura entre os indicados em Melhor Figurino de Musical e Melhor ator de Musical, pela interpretação do personagem Pippin, feita pelo ator João Felipe Saldanha. Ambos os musicais integram o Circuito Cultural Bradesco Seguros, ação de incentivo cultural da seguradora.

“Incentivar a cultura sempre será um compromisso do Grupo Bradesco Seguros e poder contar com os espetáculos patrocinados por nós em um dos principais prêmios do teatro brasileiro é, sem dúvida, uma honra. Continuaremos garantindo expressões artísticas de qualidade a todo o público que gosta de assistir nos palcos boas histórias”, ressalta Alexandre Nogueira, Diretor de Marketing do Grupo Bradesco Seguros.

Por conta da pandemia de Covid-19, diversos espetáculos do Circuito Cultural Bradesco Seguros estão sendo adaptados para o formato de lives. Para acompanhá-los, basta seguir o Grupo Segurador nas redes sociais.

XP realiza evento virtual sobre Seguro Garantia com especialistas do setor 374

XP realiza evento virtual sobre Seguro Garantia com especialistas do setor

Financial Risks Summit acontece de forma online e gratuita nesta quinta-feira (17) e irá debater as melhores oportunidades para clientes e assessores

A XP realiza nesta quinta-feira evento sobre Seguro Garantia. O Financial Risks Summit será realizado de forma online e gratuita, a partir das 18h. Promovido pela XP Corretora de Seguros, o seminário virtual debaterá como as empresas podem gerar eficiência de caixa através do seguro garantia e como o produto tem evoluído no mercado e na XP.

A abertura do evento contará com as presenças de José Berenguer, CEO do Banco XP. Henrique Pocai, Head de Novos Negócios e Linhas Financeiras da XP, e Gustavo Balassiano, Head de Corporate e Investidores Institucionais da XP.

“O mercado de seguro garantia evoluiu consideravelmente nos últimos anos e a XP traz diferenciais, gerando oportunidades para as empresas em diversas frentes antes não exploradas. Queremos mostrar essas novidades para nossos clientes”, afirma Pocai.

O evento contará com exposições de Thiago Leão de Moura, CEO da KOVR Seguradora; Guilherme Malucelli, Diretor Comercial na Junto Seguros; Carlos Ferreira Quick, Vice-presidente na Pottencial Seguradora; Igor de Beo, Vice-presidente de Subscrição, Comercial e Marketing da AXA no Brasil; Sebastie Guidoni, Vice-presidente de Parcerias, Estratégia e Finanças da AXA no Brasil; Renata Oliveira, Vice-presidente de Negócios na BMG Seguros, entre outros participantes. O encerramento será feito por Thiago Maffra, CEO da XP Inc.

Pocai também destaca que o seguro garantia é um produto que tem ganhado espaço no mercado. “Temos notado um interesse cada vez maior por parte dos clientes por ser um produto que custa, na média, metade da fiança bancária e por ser uma alternativa para gerar eficiência de caixa às empresas, em substituição a depósitos judiciais de ações trabalhistas, cíveis ou fiscais”. Segundo o executivo, o seguro garantia também vem sendo utilizado por companhias que participam de concorrências públicas ou em contratos entre empresas privadas, como, por exemplo, para garantia de capacidade de execução de um projeto.

O seminário faz parte da estratégia da XP Corretora de Seguros de fomentar a cultura dos seguros no Brasil, além de replicar a experiência transformadora que a empresa empreendeu na área dos investimentos. “Temos um atendimento diferenciado, com velocidade, além de uma análise de crédito detalhada para defender as empresas junto ao mercado segurador”, finaliza Pocai.

O evento é patrocinado pela Junto Seguros, FairFax, Axa, Pottencial Seguradora, KOVR Seguradora e BMG Seguros.

Para conferir a programação completa e se inscrever gratuitamente, acesse este endereço.

Argo Seguros amplia limites e coberturas em proteções para bicicletas 285

Fernando Gonçalves é Head Financial Lines, Surety e P&C da Argo Seguros / Divulgação

Novidades visam consolidar posição de destaque da companhia no segmento

A Argo Seguros – considerada a maior seguradora especializada em bicicletas do Brasil – promoveu uma série de novidades em seus produtos. O objetivo da seguradora é consolidar sua posição de destaque no segmento e deixar seu produto ainda mais atraente para corretores e ciclistas.

Entre as principais novidades estão o aumento da importância segurada para R$ 100 mil (antes era R$ 75 mil); a possibilidade das apólices se tornarem plurianuais (com validade para cada dois anos); e a inclusão de múltiplas franquias (normal, reduzida ou majorada).

O seguro da Argo agora também conta com coberturas opcionais para acessórios e para território internacional; além de três opções de limite para a cobertura de Responsabilidade Civil. O segurado agora pode escolher 100%, 200% ou até 300% do valor da bicicleta.

“Lançamos uma série de novidades para nos consolidar como a maior seguradora de bicicletas do Brasil. Mais do que simplesmente ampliar as coberturas e diferenciais do nosso produto, queremos nos tornar referência de mercado e a melhor solução para quem deseja pedalar tranquilo”, afirma Fernando Gonçalves, Head Financial Lines, Surety e P&C da Argo Seguros.

Atualmente, a multinacional norte-americana conta com três produtos nesse segmento. Todos possuem cobertura contra roubo e furto qualificado, enquanto dois deles protegem também contra acidentes e danos causados a terceiros (Responsabilidade Civil), além de oferecer diferentes serviços de assistência.

“Oferecermos um amplo leque de produtos para os nossos segurados, permitindo maior acesso e inclusão social. Temos desde seguros com cobertura completa, como opções mais simples, para quem está preocupado apenas com roubos e/ou furtos qualificados e que não tem interesse pelas assistências”, explica Fernando.

Vale lembrar ainda que todos os seguros oferecidos pela Argo têm cobertura em todo o território nacional e o pagamento pode ser feito em até 12 vezes, sem juros, no cartão de crédito. A companhia aceita bicicletas sem Nota Fiscal e com até dez anos de uso/fabricação (exceto no caso do Bike Basic), além do pagamento do sinistro sem depreciação. A cotação pode ser feita online, através deste endereço, mas a contratação é sempre via corretor de seguros.

Produtos de Bike da Argo Seguros

  • Seguro Bike: O primeiro seguro exclusivamente desenvolvido para bicicletas foi lançado em 2014. Ele cobre modelos entre R$ 1.500 e R$ 100 mil contra roubo e furto qualificado, acidentes/danos à bike e danos causados a terceiros (Responsabilidade Civil). Também oferece serviços básicos de Assistência Residencial como chaveiro, mão de obra elétrica e hidráulica, desentupimento de tubulação e caixa de gordura, entre outros.
  • Bike Mulher: Um dos poucos seguros existentes no Brasil desenvolvido especificamente para o público feminino, o Bike Mulher segue as mesmas características dos anteriores, mas oferece serviços exclusivos para as ciclistas, como Assistência Pessoal Nutriline (perfil alimentar, modelo de cardápio e nutrição diárias); Inspeção Kids (revisão de instalação elétrica, instalação telas e grades na janela, troca de tomadas e interruptores, fixação de quadros, prateleiras, persianas, varal etc); e Orientação Psicossocial e Personal fitness para melhor condicionamento e qualidade de vida.
  • Bike Basic: O seguro mais recente, lançado ano passado, é voltado exclusivamente aos modelos de entrada, com valores entre R$ 300 e R$ 5 mil e tem coberturas contra roubo e furto qualificado.

Comissões do Sincor-SP atenderam mais de 200 corretores de seguros em maio 392

Comissões do Sincor-SP atenderam mais de 200 corretores de seguros em maio / Divulgação

Plantões Técnicos atendem, mensalmente, profissionais que tenham dúvidas sobre diversos ramos de seguros

Os Plantões Técnicos das Comissões do Sindicato dos Corretores de Seguros do Estado de São Paulo (Sincor-SP) conseguiram atender 227 corretores de seguros somente durante o mês de maio. Desde outubro do ano passado, as Comissões prestam atendimento aos profissionais para esclarecer dúvidas e questionamentos sobre diversos ramos de seguros.

A Comissão Jurídica do Sincor-SP (imagem) é a que possui maior participação dos profissionais, com uma média de 40 participantes por reunião. A de Automóvel e de Saúde e Odontológico vêm logo em seguida, com uma audiência média de 35 corretores por Plantão.

Somente neste ano, mais de 900 corretores já participaram das reuniões. Entre os meses de março e maio, os corretores não associados também participaram dos Plantões. Mas, desde o início de junho, o acesso às reuniões está sendo exclusivo aos corretores associados.

O Sincor-SP conta com mais de 12 Comissões Técnicas que se reúnem mensalmente e, com o Plantão, os corretores poderão participar durante 30 minutos e tirar suas dúvidas. Para participar, o profissional deve acompanhar o calendário das reuniões, escolher o ramo que mais interessa, acessar a sala na data e horário marcados, e enviar sua pergunta por chat ou áudio.

Para a 2ª vice-presidente do Sincor-SP e responsável pela Assessoria Técnica, Simone Fávaro, a participação dos corretores é resultado das ações da entidade. “As nossas Comissões contam com profissionais qualificados nos ramos, por isso queremos compartilhar conhecimento com a categoria. Os corretores que tiverem dúvidas ou mesmo que quiserem aprender mais sobre os ramos, devem participar dos Plantões”, ressalta.