Estratégias eficazes para a venda de seguros 844

Estratégias eficazes para a venda de seguros

Conheça algumas estratégias eficazes para aumentar as vendas e entre elas adicione o fato de trabalhar com as seguradoras mais confiáveis

Existe muita resistência por parte das pessoas em adquirirem um seguro. Muitas delas pensam que esse tipo de produto é algo dispensável. E mesmo quando elas conhecem quais são as seguradoras mais confiáveis ainda ficam com um pouco de receio.

A verdade é que no Brasil não se tem o hábito de contar com um seguro, mas quando se entende os benefícios que eles podem trazer é possível mudar de ideia.

Cabe ao corretor criar essa necessidade e explicar sobre os serviços, mas para que consiga chegar ao cliente, precisa usar algumas estratégias. E na hora de fechar a venda é preciso mais do que bons argumentos, a criatividade deve imperar.

Veja como usar algumas estratégias eficazes para vender e quais são elas:

Saiba quem são as pessoas

Não adianta oferecer seguro para todo mundo, estará perdendo tempo já que muitos não tem nenhum interesse nele e demonstram grande resistência.

Faça um levantamento de quais são os perfis que possuem maior tendência a ter um seguro, e foque neles para fazer as ofertas. Se possível dedique seu tempo a quem já demonstrou um interesse, por exemplo, que já pediu informações ou cotação.

Ofereça o que o cliente precisa

Antes de ofertar um plano qualquer, faça uma sondagem com o cliente, identificando quais são as necessidades dele. Sabendo dessa informação veja quais são os produtos que possui que podem atender melhor.

Faça uma oferta que o leve a entender que aquele seguro é para ele, que possui tudo o que ele deseja e mais um pouco. Se necessário use exemplos de situações que podem ocorrer com ele e como as coberturas seriam úteis.

Trabalhe com as seguradoras mais confiáveis

Um ponto muito importante é sobre os produtos que você tem a oferecer. Além do que eles oferecem, as pessoas vão querer saber a reputação da empresa que prestará o serviço.
Para evitar algum tipo de desconfiança ou problema, opte por trabalhar apenas com as seguradoras mais confiáveis. Queira apenas as que são credenciadas a SUSEP e possuem uma boa avaliação no mercado.

Muitas vezes os que os clientes dizem pode ajudar a reforçar uma venda. Se eles falam bem da empresa será muito mais fácil para vender um seguro dela usando esse argumento.
Seja a pessoa que entende de seguro

Se pretende vender qualquer coisa precisa conhecer muito bem o que está ofertando e com seguros não é diferente.

Tenha um domínio do mercado, saiba quais são as empresas, as diferenças entre elas e que produtos oferecem. Esteja atento a todos os lançamentos e novidades.

Acima de tudo conheça os detalhes do que está vendendo como regras de negócio, coberturas oferecidas e tudo mais. Seja visto como a pessoa que os clientes procuram quando estão com dúvida e com quem conseguem sanar as questões.

Ao se tornar um especialista passará mais confiança aos clientes e será procurado por outras pessoas que ouviram a sua boa reputação.

Tenha a tecnologia como sua grande aliada

Boa parte das pessoas buscam informações on-line antes de adquirir um produto e, principalmente após a pandemia, as compras também passaram a ser digitais.

Nesse ponto a tecnologia pode te favorecer de diferentes maneiras. É possível contar com ela para a divulgação, por exemplo, tendo um site ou estando presente nas redes sociais. E-mail e aplicativos de mensagens podem ser canais para tirar dúvidas e manter uma comunicação com potenciais clientes.

Ela também pode ser usada para fazer as vendas e, nesse caso, pode-se usar diferentes meios para isso. Por exemplo, com o cliente enviando os documentos e contratando on-line. Todo o processo pode ser à distância, pois, as seguradoras mais confiáveis também permitem que a venda seja feita em seus sites e plataformas.

Se souber aproveitar os recursos disponíveis, as chances de ter sucesso nas vendas é grande. Faça um planejamento de quais tecnologias pretende usar e de que maneira.

Não abandone o seu cliente

Depois de fechar a venda alguns corretores têm o costume de sumir e os clientes muitas vezes acabam perdendo o contato. Esse erro pode fazer com que na hora de contratar outro seguro ou renovar, a pessoa procure por um outro corretor.

Mesmo após a venda ter sido feita, garanta que manterá um contato. Esse pode ser por meio de e-mail, aplicativos de mensagens ou telefonemas. Não é preciso manter um contato tão constante, mas de maneira que a pessoa não te esqueça como corretor.

Muitas vezes o sucesso das vendas de seguro depende muito mais do comportamento do corretor e das estratégias usadas do que dos produtos em si. É claro que trabalhar com as melhores seguradoras ajuda, porém, pensar estrategicamente é que fará diferença.

*Por Jeniffer Elaina, especialista em seguros no SeguroAuto.org

Bradesco Seguros promove campanha digital para expansão do seguro residencial no Nordeste 503

Saint´Clair Lima é diretor da Bradesco Seguros / Divulgação

Ação acontece nas redes sociais e mídias locais com foco nas cidades de Salvador, Fortaleza e Recife

A Bradesco Auto/RE, empresa do Grupo Bradesco Seguros, promove uma campanha de marketing digital para apresentar as novidades e benefícios do Seguro Residencial Sob Medida, às cidades de Salvador, Fortaleza e Recife.

A ação tem como objetivo fomentar o reconhecimento e penetração do seguro Residencial na região Nordeste, a partir dos diferenciais da cobertura, com uma abordagem de conscientização e referência à cultura local.

“A campanha terá um mote regional trazendo uma identidade e sinergia com consumidores, pois usará uma expressão reconhecida localmente. Será uma comunicação continua focando nas entregas digitais (e-mails, WhatsApps, vídeos entre outros) e mídias locais de cada região”, destaca Ana Cláudia Gonzalez, superintendente de marketing da seguradora.

Além do seguro básico e acessório, comum a todos os segmentos, a nova segmentação do Sob Medida contempla proteções inéditas para casa habitual, de veraneio, apartamento e imóveis a partir de R$ 1 milhão. Um dos grandes atrativos e diferenciais é a nova cobertura para atividade comercial na residência, que ampara desde escritórios a pequenos comércios ou estabelecimentos dentro da moradia habitual.

“O seguro residencial passa a ser visto, pelo consumidor, como prioridade, pois o ambiente de trabalho e a residência se misturam com a prática crescente do home office. Com isso, o setor se prepara para mudanças tanto na forma de comercialização, como também de produtos que atendam às novidades e riscos do trabalho a distância, entre eles os seguros para equipamentos mais sofisticados instalados nas residências”, afirma Saint´Clair Lima, diretor da Bradesco Auto/RE.

O seguro ainda disponibiliza assistências emergenciais gratuitas 24h por dia, como chaveiro, vigilante, serviço de mão de obra elétrica e hidráulica, entre outros. “O gasto com recuperação ou limpeza de um imóvel destruído é alto, para quem não tem seguro. E pensar que, geralmente, a proteção residencial representa apenas 0,1% ou 0,2% do valor do imóvel”, finaliza.

Divulgação
Divulgação

Confira o preço do seguro para os 10 carros mais vendidos de março 410

Confira o preço do seguro para os 10 carros mais vendidos de março

De acordo com levantamento exclusivo da Youse, Fiat Mobi tem o seguro mais barato e Fiat Toro, mais caro; Preços começam em R$ 1.444 por ano

A Youse, plataforma de seguros digital, simulou os preços do seguro auto para os modelos mais emplacados em março, segundo a Fenabrave (Federação Nacional Distribuição Veículos Automotores). De acordo com as cotações para São Paulo, o Fiat Toro tem o seguro mais caro e o Fiat Mobi, o mais barato.

Para o levantamento, a Youse considerou um plano médio de seguro com cobertura contra roubo e furto, alagamento; perda total; danos materiais a terceiros e assistência guincho. “Na Youse, o cliente tem autonomia para escolher quais coberturas e assistências ele quer. Esses são fatores que influenciam no preço final também”, explica Renato Scott, gerente de pricing na insurtech.

Considerando os perfis médios de um homem de 38 anos e uma mulher de 35 anos, moradores de São Paulo, veículo 0km, sem classe de bônus, os valores dos seguros para o Fiat Mobi começam em R$ 1.444,01 anual, e para o Fiat Toro, em R$ 3.756,04. “Os valores do seguro podem variar de acordo com o perfil do cliente e ter interferências caso seja considerada a classe de bônus, em que o cliente pode receber até 50% de desconto, em média, sobre o preço cheio”, destaca Scott. Confira o levantamento completo, considerando os perfis médios simulados:

Perfil feminino, 35 anos, São Paulo, veículo 0km, sem bônus:

1 Fiat Strada R$ 2.294,20
2 Hyundai HB20 R$ 1.470,12
3 Chevrolet Onix R$ 1.466,53
4 Volkswagen Gol R$ 1.575,37
5 Fiat Mobi R$ 1.444,01
6 Fiat Toro R$ 3.756,04
7 Chevrolet Tracker R$ 1.973,81
8 Jeep Renegade R$ 1.949,04
9 Hyundai Creta R$ 1.709,19
10 Chevrolet Onix Plus R$ 1.482,35

Perfil masculino, 38 anos, São Paulo, veículo 0km, sem bônus:

1 Fiat Strada R$ 2.819,40
2 Hyundai HB20 R$ 1.599,40
3 Chevrolet Onix R$ 1.577,86
4 Volkswagen Gol R$ 1.714,32
5 Fiat Mobi R$ 1.556,35
6 Fiat Toro R$ 4.255,00
7 Chevrolet Tracker R$ 2.146,36
8 Jeep Renegade R$ 2.126,74
9 Hyundai Creta R$ 1.835,42
10 Chevrolet Onix Plus R$ 1.596,35

Quais são os carros com melhor custo-benefício do Brasil 426

Quais são os carros com melhor custo-benefício do Brasil

Comparar opções é fundamental antes de comprar um automóvel

Você sabe quais são os carros com melhor custo-benefício do Brasil? Essa é uma pergunta difícil de responder. Pode ser que os carros Chevrolet estejam nessa lista, pode ser que estejam os da Fiat, Volkswagen ou qualquer outra marca. Seja como for, é fundamental ter em mente que calcular o custo-benefício de um automóvel é essencial antes de fazer a sua aquisição.

Atualmente, o mercado automotivo no Brasil não vive bons momentos. Apesar de ter um carro seguir como o sonho de consumo mais comum do brasileiro (ao lado de ter uma casa), não é todo mundo que tem condições de comprar um veículo atualmente, especialmente um 0 km. Basta ver o fato de que o preço dos carros mais vendidos do Brasil subiu quase 10% em um único ano, justamente um período de pandemia.

Portanto, é essencial entender quais são os carros com melhor custo-benefício do Brasil para poder fazer a escolha certa na hora de comprar. Siga a leitura para saber quais são eles!

Quais são os carros com melhor custo-benefício do Brasil: 5 modelos

1. Chevrolet Onix Plus

O Chevrolet Onix Plus é um dos carros mais vendidos do país. Ele foi lançado em 2019 como substituto do Prisma e dentro da família do Onix, que é o automóvel com mais vendas no país há 6 anos.

Além do nome que alavanca suas vendas, o Onix Plus tem alguns outros benefícios interessantes. O mais impactante deles é o seu consumo. O modelo faz 13,7 quilômetros por litro de gasolina no ambiente urbano e 9,6 quilômetros por litro de etanol no mesmo contexto.

Considerando que a média de rodagem no Brasil é de 20 mil quilômetros por ano e que a gasolina custa perto de R$ 5,60 por litro atualmente, o Onix Plus geraria um custo de R$ 8.176,00 por ano com combustível, uma média de R$ 681,34 por mês. É um valor mais baixo do que o dos seus concorrentes na mesma faixa de preço.

2. Renault Kwid

Desde que o Chery QQ saiu de linha no Brasil que o Renault Kwid se tornou o modelo mais barato do país. Isso significa que ele é um veículo com poucos equipamentos e de baixo valor para os motoristas? Na verdade, não.

O Kwid se destaca por ser um hatch subcompacto com muitos equipamentos significantes em suas versões, inclusive sendo melhor equipado do que o Mobi, seu principal concorrente (que apresenta um preço maior).

Além disso, o Kwid ainda se destaca por ter um design muito único e chamativo. O veículo tem aparência de um SUV, mesmo sendo um hatch. Por conta disso, é um valor extra que o consumidor leva para casa.

3. Toyota Etios Sedan

Além do Onix Plus, outro sedã com um ótimo custo-benefício é o Toyota Etios Sedan. O modelo tem um custo relativamente baixo para o segmento (a versão mais barata sai a R$ 54.190,00, com a versão mais cara ficando em R$ 59.220. Para comparação, o Onix hatch fica mais ou menos nessa faixa de preço também).

Dentre os seus benefícios, o carro conta com controles de tração e estabilidade em todas as versões, além de assistente de rampa, o que pode ser muito importante para quem está aprendendo a dirigir. Além disso, o veículo ainda tem um bom motor 1.5 com 107 cavalos de potência, além de um bom sistema de multimídia na versão mais cara. Para completar, ele é um carro bem espaçoso, com um ótimo computador de bordo e um dos maiores porta-malas do país: 562 litros.

4. Chevrolet S10

Pode ser possível comprar uma picape média, com cabine dupla, mais de 206 cavalos de potência no motor com injeção direta, tração 4×4 e ótimo espaço por menos de R$ 100.000,00? Se você acredita que não, então precisa conhecer o Chevrolet S10. A picape ganhou novas versões recentemente, incluindo a Advantage que parte no mercado custando R$ 92.990,00.

O automóvel é o mais barato do segmento de picapes médias, vencendo a Fiat Toro nesse quesito. Além disso, o automóvel conta com vários benefícios específicos para quem precisa carregar cargas e de uma picape robusta.

5. Chevrolet Tracker

Atualmente, os SUVs estão cada vez mais populares no mercado brasileiro. Inclusive, alguns conseguem até mesmo liderar as vendas no país por um mês.

Atualmente, parece haver um consenso de que os dois melhores SUVs atuais são o Chevrolet Tracker e o Volkswagen T-Cross. No entanto, nessa disputa, o Tracker apresenta melhor custo-benefício. Para começar, o T-Cross é R$ 14.000,00 mais caro nas versões em que ambos são igualmente equipados. No entanto, além de mais barato, o Tracker tem mais potência (150 cavalos de potência contra 133 do T-Cross), mais espaço no porta-malas (quase 400 litros), melhor consumo e manutenção mais fácil e barata. Ou seja: apresenta um melhor benefício por um custo menor.

Pronto! Agora você já conhece quais são os carros com melhor custo-benefício do Brasil. Deu para ver que tem muitos modelos da Chevrolet na lista, o que talvez explique porque a montadora é a mais vendida do Brasil. No entanto, existem outros modelos que poderiam ser citados também. Por exemplo, daria para citar o Volkswagen T-Cross como um ótimo SUV, a Fiat Strada como boa picape, o Peugeot 208, o Toyota Corolla e até o Nissan Versa. Existem muitos bons modelos no mercado nacional, basta pesquisar.

E aí, gostou da nossa lista? Então comente abaixo dizendo qual carro você acha que deveria entrar nela!

16 dicas para aumentar a segurança no transporte rodoviário de cargas 724

16 dicas para aumentar a segurança no transporte rodoviário de cargas

FreteBras reforça importância do uso da tecnologia e da vigilância constante como aliados para estradas mais seguras

Garantir a segurança no transporte de cargas é um dos maiores desafios para quem trabalha no setor. Afinal, esse tipo de problema pode causar inúmeros prejuízos aos caminhoneiros e também afetar significativamente a lucratividade das empresas. Essa adversidade é tão séria que os roubos de carga somam prejuízos de mais de R$ 1,5 bilhão anualmente, segundo estudo realizado pelo Grupo Tracker. Por isso, a FreteBras, maior plataforma online de transporte de cargas da América do Sul, preparou algumas dicas para auxiliar motoristas e contratantes a fechar fretes de forma mais segura, após extensa consulta a atuantes do mercado.

“Estas recomendações de segurança foram agrupadas depois de várias conversas que tivemos com caminhoneiros e transportadores, durante a concepção do programa Frete Seguro, um investimento milionário que faremos para apoiar na prevenção à fraudes do setor. Temos discutido também com seguradoras, agentes independentes e líderes informais, tudo com o objetivo de identificar os principais fatores de risco e atuar rapidamente. O que ficou claro para nós é que, para que o transporte de cargas seja mais seguro, é preciso a colaboração de todos”, explica Bruno Hacad, Diretor de Operações da FreteBras.

Confira as dicas abaixo:

Segurança para caminhoneiros

  1. Cuidado com o “fretão”. Redobre a atenção com ofertas de frete com valor muito acima do praticado no mercado .
  2. Pesquise ou busque referências sobre a empresa embarcadora responsável pela carga .
  3. Consulte o endereço do carregamento. Existem relatos de motoristas que utilizam táxi ou mototáxi para verificar o local antes de se aproximarem com o caminhão .
  4. Se estiver próximo ao local do embarque e o lugar for muito afastado e deserto, desconfie . Principalmente se as instruções forem para ficar parado e aguardar .
  5. Cuidado ao fazer pagamento de taxas ou valores cobrados antes do carregamento, fora do local de embarque ou para pessoas desconhecidas .
  6. Atenção ao realizar devolução de valores em contas bancárias de terceiros. Após o recebimento do frete, se realmente for necessário, faça o estorno para a mesma conta remetente .
  7. Utilize a função “Check-in Privado” do aplicativo da FreteBras. Ela permite consultar fretes e manter a privacidade dos dados de contato do motorista .
  8. Aproveite a garantia do saldo do frete que a FreteBras oferece, como forma de proteção para os motoristas que possuem uma conta digital de pagamentos cadastrada com a empresa.

Segurança para empresas

  1. Em contratações remotas, sempre que houver possibilidade, fale com o caminhoneiro por chamada de vídeo .
  2. Não realize o pagamento do frete em conta bancária de terceiros . faça sempre o pagamento na conta do motorista ou titular da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) a qual o veículo está vinculado .
  3. Tenha cuidado com contratos falsos de locação ou compra de veículos. Muitos golpistas se utilizam dessa artimanha para transmitir uma falsa sensação de confiança.
  4. Confira com muito cuidado toda a documentação recebida, com atenção à autenticidade dos dados .
  5. Não abra mão, mesmo que em situações urgentes, de seguir os processos de segurança da empresa, como, por exemplo, a contratação de seguro, consulta em GR, etc .
  6. Não faça o pagamento do adiantamento do valor do frete sem garantias de que o veículo esteja no local de carregamento .
  7. Peça referências de empresas com as quais o caminhoneiro já tenha trabalhado .
  8. A própria FreteBras disponibiliza uma funcionalidade de avaliação de motoristas. Consulte-a sempre e lembre-se de sempre fazer as suas próprias avaliações, ajudando, assim, toda a indústria.

Hacad reforça que “a expectativa é ajudar os caminhoneiros a identificar situações suspeitas e se protegerem. Esperamos que estas recomendações sejam de grande utilidade para o setor”.