Como a tecnologia ajuda na organização e assegura os documentos digitais?

CEO da Clicksign, empresa referência em assinaturas eletrônicas e digitais, ressalta segurança e validade jurídica como grandes aliados desta modalidade

Papeladas e mais papeladas chegam e saem diariamente dos escritórios e empresas Brasil afora. Com a migração de diversos serviços para o mundo digital e com empresas fechando seus escritórios físicos, como esses documentos serão armazenados e, posteriormente, resistirão ao tempo?

Publicidade

“Na hora de fazer a gestão dos documentos de uma empresa, é importante considerar como eles serão organizados, seu tempo de vida e quais os níveis de segurança e validade jurídica. Por isso, o ambiente digital, sempre deve ser uma opção”, explica Marcelo Kramer, CEO e fundador da Clicksign, empresa referência em assinaturas eletrônicas e digitais e que atua no setor há mais de 10 anos e já ajudou mais de 30 mil empresas com sua plataforma SaaS (Software As A Service).

Além disso, neste ano, a questão da segurança continua como uma das prioridades: segundo pesquisa realizada pela PwC Digital Trust Insights 2022 com 3,6 mil executivos de negócios, tecnologia e segurança, cerca de 83% das empresas no Brasil devem aumentar o investimento em segurança cibernética em 2022.

“Seguimos os mais rígidos protocolos de segurança para que os documentos assinados fiquem disponíveis na nuvem, em um servidor referência, como o S3 da Amazon. Isso permite com que as assinaturas possam ser acessadas de qualquer lugar e a qualquer momento. Além de terem validade jurídica e economizar tempo e dinheiro para o empresário, que não vai precisar mais de todos os custos que englobam a gestão das assinaturas físicas como transporte, armazenamento e muitos outros gastos”, ressalta o CEO.

Publicidade
Europ Assistance Brasil

As assinaturas eletrônicas estão amparadas pela Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira, conhecida como ICP-Brasil, e também estão incluídas na nova Lei Federal 14.063/2020 que as classifica e regulamenta sua aceitação e utilização pelos Entes Públicos.

“É sempre importante ressaltar o amparo legal das assinaturas eletrônicas, principalmente para setores mais tradicionais, como o jurídico e o de imóveis. No entanto, elas fazem parte de um processo ainda maior que é da digitalização do dia a dia das pessoas, uma realidade que chegará para toda empresa e se for feita com calma e segurança, todos saem ganhando”, finaliza Kramer.

Artigos Relacionados