Gestão de pessoas é o principal desafio de negócio para empresas de serviços em tecnologia

Com déficit de mão de obra especializada previsto para dobrar no Brasil nos próximos anos, empresas do setor inovam em políticas e programas para atrair e reter talentos

A atração de talentos é um dos principais desafios das empresas que utilizam mão de obra qualificada em tecnologia. No Brasil, o setor tem um déficit estimado de 400 mil profissionais, podendo chegar a 797 mil até 2025 de acordo com levantamento da Brasscom (Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação). Além disso, o turnover médio no segmento é de 48% ao ano, ou seja, reter essa força de trabalho é tão relevante para as áreas de recursos humanos das companhias quanto atraí-la. A necessidade é comum a organizações de todos os setores, mas em empresas que ofertam tecnologia como serviço, a disponibilidade de mão de obra especializada determina a própria capacidade de desenvolver novas soluções, conquistar novos clientes e crescer em faturamento e receita. Assim, o desafio do RH se torna, mais do que nunca, uma agenda prioritária para os negócios.

Publicidade

Para se destacar da concorrência junto aos melhores candidatos, empresas como a i4pro, líder em soluções tecnológicas para o mercado segurador, têm investido no fortalecimento da cultura organizacional, valorização dos times, readequação do pacote de benefícios e na aposta permanente no modelo de teletrabalho. O tema é tão importante para a i4pro que 30% do orçamento da empresa é direcionado para desenvolver e fortalecer os times internos e o investimento em benefícios cresceu 27% no comparativo com 2021.

“A pandemia acelerou ainda mais a curva de contratação de profissionais de tecnologia para atender à necessidade de infraestrutura adequada ao trabalho remoto”, relembra Carolina Florence, diretora de Desenvolvimento Humano, Gestão Organizacional & Comunicação da i4pro. “A competição pelos melhores talentos foi acirrada, mas por outro lado se abriu a possibilidade de buscar pessoas qualificadas em qualquer lugar do país”. De acordo com a executiva, 90% dos colaboradores da i4pro estão hoje em regime de teletrabalho sendo que 20% deles já trabalham a partir de outras regiões do país – a sede da empresa fica na cidade de São Paulo.

A companhia optou por não adotar política de deflator salarial regional, prática comum no mercado, o que traz um importante diferencial competitivo na contratação de profissionais de tecnologia de outros estados. O pacote de benefícios também foi revisto: a alteração do plano ampliou a rede credenciada e passou a oferecer acesso a apartamento para todos os colaboradores e com uma política de reembolso compatível com as necessidades dos colaboradores; a oferta de planos do Gympass passou a compor a estratégia de saúde integral; o fornecedor de vale refeição e alimentação foi alterado para adequar o benefício ao uso em aplicativos de entrega e supermercados aumentando a rede de aceitação de 400 mil para 4 milhões de estabelecimentos; e a empresa adotou a possibilidade de férias de 15 dias a partir de seis meses do contrato de trabalho.

Publicidade
SulAmérica

A i4pro ainda criou dois benefícios novos: o i4Office, para garantir a compra de mesa, cadeira e outros periféricos necessários à ergonomia durante as atividades, e o i4Infra, que custeia internet e luz. “Não queremos que as pessoas tenham a sensação de que, ao trabalharem de casa, estão pagando por recursos que deveriam ser do escritório”, explica Carolina. Para completar, a empresa realiza vistorias das condições de ergonomia na casa de todos os colaboradores. “Incluímos essa etapa de verificação dos ambientes no nosso exame admissional e periódico para garantir a qualidade de vida e a saúde ocupacional de todos os colaboradores”, enfatiza Carolina.

A i4pro é uma empresa de serviço, de tecnologia, e mais do que isso, é uma empresa de missão crítica. “O cuidado com a qualidade de vida do nosso time fez a diferença para que fôssemos capazes de manter o engajamento, reduzir o turnover e garantir as entregas para os nossos clientes dentro de um ambiente positivo e colaborativo”, diz a executiva. Hoje, o turnover da i4pro fica em torno de 20%, menos da metade da média do mercado.

Mas o desafio de atrair, formar e reter talentos está longe de terminar. Apenas este ano, a i4pro já contratou mais de 70 profissionais, e tem cerca de 20 novas posições abertas, algumas delas bastante específicas e disputadas no mercado de tecnologia. Por isso, a área de gestão de pessoas criou o i4Indica, programa no qual os colaboradores podem sugerir nomes para as vagas disponíveis e, se suas indicações forem efetivadas, receber premiações que vão de R$ 200 a R$ 2 mil. A experiência tem sido bastante positiva. De acordo com a Carolina, o programa reduz os custos com recrutamento, seleção e treinamento, e garante alinhamento cultural dos candidatos. Desde que foi lançado em março de 2021, o i4Indica contabiliza 352 indicações, 37 contratações diretas com 33 colaboradores premiados.

Outra frente extremamente importante para o time de gestão de pessoas diz respeito ao alinhamento cultural. O processo de definição dos valores da companhia foi realizado junto aos colaboradores e a partir de sugestões compartilhadas por eles. “A opinião do time foi considerada no momento de construção da cultura da empresa. Por trás de cada um dos nossos valores há o querer de todos os colaboradores e, por isso, as pessoas se enxergam neles. Esse alinhamento é essencial na contratação das pessoas afinal, aqui na i4pro a gente vive o que falamos”, garante Carolina.

Como resultado, a companhia conquistou, em novembro de 2021, o selo Great Place To Work. “O ano passado foi um período de construção da área de Desenvolvimento Humano com a implementação de novos processos e programas. Foi uma trajetória planejada, efetiva e dedicada a fazer o nosso melhor. Estar entre as melhores empresas para se trabalhar é um resultado que muito nos orgulha”, vibra Carolina.

Artigos Relacionados