O que mudou no mercado imobiliário brasileiro?

Pesquisas realizadas pelo Imovelweb mostram o impacto da pandemia no comportamento do consumidor com relação aos imóveis

A crise mundial gerada pela covid-19 mudou consideravelmente a rotina de milhares de pessoas ao redor do mundo. Como consequência, foram observadas mudanças em todas as esferas da sociedade.

Publicidade
SulAmérica

Para acompanhar esse movimento, o Imovelweb, um dos maiores portais imobiliários do País, vem realizando várias pesquisas com seus usuários para compreender o comportamento dos brasileiros durante as três ondas da pandemia.

Atualmente, a busca de imóveis é feita majoritariamente por mulheres (64%), sendo que os homens representam 36%. As faixas etárias são as seguintes:

Diulgação
Divulgação

Desse total, procuram por:

Publicidade

Divulgação
Divulgação

As pesquisas também apontam os TOP 3 motivos para procurar um imóvel:

  1. Casamento;
  2. Deixar a casa dos pais;
  3. Sonho de moradia própria.

Os principais fatores que influenciam a pesquisa são: localização, preço e condições de pagamento. E quando questionados sobre o que é importante ter no próximo imóvel, os usuários responderam: segurança, mercados e vias de acesso. Ainda no momento de procurar por uma propriedade hoje, 71% pesquisaram online antes de visitar o imóvel ou stand contra 60% em 2011.

Momento de compra

Para analisar o comportamento atual dos usuários, o Imovelweb fez uma terceira pesquisa. Comparando as três ondas, obteve-se as seguintes respostas quando se trata da busca de imóveis:

Divulgação
Divulgação

Além disso, para metade das pessoas que estão buscando imóveis no portal, a situação atual não mudou os planos, o que pode ser encarado como um fator positivo para o mercado.

Divulgação
Divulgação

Os principais fatores de mudança, tais como localização e espaço, continuam presentes, porém foi observado que a redução de custo, que antes não era citada, apareceu entre as principais causas:

Para os usuários que pretendem mudar, hoje 38% têm a intenção de trocar de casa em até 6 meses, contra 52% dos respondentes na primeira onda. A outra metade dos entrevistados acredita que a atual situação mudou os planos: 7% responderam que a economia do Brasil impactou essa decisão, outros 32% culpam a insegurança no emprego atual.

Divulgação
Divulgação

Sobre os fatores que fariam os consumidores a retomarem os planos de mudanças, descontos na hora do pagamento, redução de juros e a retomada da vida normal estão entre as principais respostas:

Divulgação
Divulgação

O lado financeiro

Divulgação
Divulgação

De acordo com a pesquisa realizada pelo Imovelweb, quem pretende se mudar e entende que a situação atual não mudou seus planos ainda conta com métodos de pagamento tradicionais, tais como uso do FGTS e o consórcio.

Já quem cessou completamente a busca por imóveis, diz que a insegurança na atual situação do País e a possibilidade de ter salário reduzido ou ser mandado embora contribuíram para a decisão.

“Com a pandemia, saímos do um conceito ‘de fora para dentro para de dentro para fora’: antes olhava-se a localização e agora a prioridade é se o imóvel está adequado para as minhas necessidades atuais”, afirma Tiago Galdino, CFO do Imovelweb.

Artigos Relacionados