Rodobens cresce 62% com consórcios na Região Sul

Segmento de caminhões foi o mais vendido, com um aumento nas vendas de crédito de 66,6% em 2021

A Rodobens, que possui um amplo portfólio de serviços financeiros suportados por um ecossistema sinérgico de rede de concessionárias próprias de automóveis e veículos comerciais, registrou recorde de vendas, ao fechar 2021 com mais de R$ 5,5 bilhões de créditos, o que corresponde um crescimento de 35,3%, comparado ao ano anterior.

Publicidade

A Região Sul foi responsável por 62% desse aumento nas vendas da Rodobens, com destaque para o Estado de Santa Catarina, que apresentou um aumento de 139,1% em relação a 2020. Entre os consórcios mais procurados no Sul do país, o de caminhões registrou um aumento de 66,6%, seguido por imóveis, 63%, motos/serviços, 54,2%, e automóveis, 43,8%.

O cenário reforça o recorde histórico divulgado recentemente pela Associação Brasileira de Consórcios (Abac), que registrou mais de R$ 200 bilhões de cotas vendidas, que representam um crescimento de 34,4% em todo o segmento, ante 2020.

Para Sebastião Cirelli, diretor de consórcios da Rodobens, isso aconteceu porque a modalidade comprovou sua importância para a economia do País em 2021. “Com a crise, muitas pessoas ficaram preocupadas com os investimentos e as aplicações, o que é compreensível, diante do momento que vivíamos, e perceberam que o consórcio é uma maneira segura e vantajosa para investir e planejar a aquisição de um bem ou serviço”, pontua.

Publicidade
MAG Seguros

O recorde da Rodobens inclui o segmento de caminhões, que, comparado a 2020, representou 46,2% de crescimento das vendas em créditos; seguido pelo segmento de imóveis, com 34,2%; automóveis, 25,2%; e Motos/Serviços, 4,3%.

“Queremos estar presentes na vida dos nossos clientes, colocando-nos como parceiros do próximo passo, para simplificar suas decisões com soluções financeiras que se encaixem no momento da vida de cada um deles. O que só fortalece nossa premissa de ser uma empresa que tem o cliente no centro para a tomada de decisões”, finaliza Cirelli.

Artigos Relacionados