Seguros para Pix e cartões são recomendados para aumentar a segurança no Carnaval, diz Inter

O uso do Seguro Pix do Inter cresceu 6 vezes desde janeiro de 2023. Instituição traz ainda outras dicas para aproveitar o feriado sem dor de cabeça

O Pix tem se popularizado cada vez mais e hoje é uma das principais opções de transferência dos brasileiros. Segundo o último levantamento do Banco Central (BC), em 2023 as transações por Pix cresceram 57,8%, em comparação com 2022, somando mais de 194 milhões de CPF cadastrados. Entretanto, o aumento na utilização também chamou a atenção de golpistas. Uma pesquisa da Silveguard mostra que quatro em cada dez brasileiros já foram vítimas de tentativa de golpe ao usar o Pix. A preocupação é ainda maior em eventos como o carnaval, que reúne um grande número de pessoas em um só lugar.

Publicidade

O crime mais comum em blocos de carnaval e nas datas que antecedem as comemorações é o furto ou roubo de celulares, que quando desbloqueado, permite a realização de transferências. Outra prática que têm preocupado os foliões é a troca de cartão, em que o operador da maquininha aproveita a distração do comprador para trocar o cartão por outro de aparência similar. Para ajudar a diminuir o impacto desse tipo de situação, o Inter recomenda a busca por produtos de bancos e seguradoras que oferecem coberturas contra os danos causados.

“No Inter temos o Seguro Pix, que protege transações PIX, TED, DOC e TEF irregulares em caso de roubo ou furto do celular ou em situações de coação, e o Seguro Cartão Mais Protegido, voltado para transações indevidas e não autorizadas em cartão de crédito ou débito”, conta Thiago Bello, Superintendente de Seguros no Inter. “A venda do Seguro Pix cresceu em 6 vezes desde o seu lançamento em janeiro de 2023, e a carteira de clientes do Cartão Mais Protegido mais do que duplicou nos últimos dois anos, o que mostra a importância desses tipos de cobertura”.

No Seguro Pix, são duas modalidades, uma que custa R$3,50 e o segurado pode receber uma indenização de R$ 2 mil em caso de sinistro, e outra que custa R$ 8, e possibilita, se houver cobertura, o recebimento de até R$ 5 mil. Já no caso do Cartão Mais Protegido, são três planos com cobertura progressiva e para diferentes necessidades dos clientes. São eles: Standard (R$1,90), com indenização de R$3.000, Plus (R$3,40), com indenização de R$6.000, e o Premium (R$5,40), com indenização de R$10.000.

Publicidade

DICAS DE SEGURANÇA

Além de obter uma cobertura, também é recomendado tomar alguns cuidados para prevenir golpes e ações criminosas em períodos como o Carnaval. “Hoje existe por exemplo o novo aplicativo do governo, o Celular Seguro. Após a solicitação no aplicativo, o acesso à conta bancária e aos cartões pode ser suspendido. Com o bloqueio temporário, é possível recuperar o acesso de forma simples, rápida e segura, utilizando o processo de prova de vida”, conta Bruno Nakamura, Gerente de Governança Antifraude no Inter.

O especialista também separou outras dicas de segurança:

  1. Ative o bloqueio automático de tela e da tela inicial por biometria facial ou digital.
  2. Nos aplicativos, especialmente de bancos e redes sociais, utilize o duplo fator de autenticação e bloqueio por biometria.
  3. Evite entregar seu cartão a terceiros, mesmo em estabelecimentos comerciais, e nunca informe sua senha.
  4. Esteja atento ao receber o cartão de volta: verifique se o cartão devolvido após uma transação é realmente o seu.
  5. Mantenha informações pessoais privadas: evite compartilhar dados sensíveis, como números de documentos ou códigos de segurança.
  6. Atualize senhas regularmente: utilize senhas robustas e únicas para cada conta.
  7. Mantenha softwares atualizados, como o sistema operacional, aplicativos e antivírus, para reduzir vulnerabilidades e proteger contra ameaças digitais.
  8. Desconfie de solicitações de informações pessoais ou financeiras fora do contexto habitual, especialmente se forem urgentes ou ameaçadoras.

Artigos Relacionados

Comentários

Deixe uma resposta