SulAmérica fortalece tratamento da doença renal crônica com atendimento multidisciplinar em programa de transplantes

A SulAmérica anuncia novas diretrizes de atenção e cuidado aos pacientes com doença renal crônica, dentre as terapias o transplante de rim têm modificado a história e a qualidade de vida dos beneficiários. Reconhecido como um dos três transplantes mais realizados pelo plano de saúde, ficando atrás somente do transplante de medula óssea e de córnea, as ações da SulAmérica refletem a importância do transplante como parte essencial de um tratamento.

Publicidade
Icatu Seguros no JRS

A doença renal crônica tem uma das maiores prevalências no Brasil, afetando 8,1% em 2017, segundo a Sociedade Brasileira de Nefrologia. No Brasil, o transplante de rim representa 21% do total de transplantes, ficando atrás somente do transplante de córnea, segundo o governo federal.

A empresa marca um avanço na missão de cuidar dos pacientes em todas as fases de sua jornada de saúde renal desde o diagnóstico até o momento pós-transplante. Tudo com acompanhamento multidisciplinar de profissionais de saúde, como nefrologistas, urologistas e vasculares.

A beneficiária Paloma Alda foi uma das pessoas que teve a vida salva pelo transplante de rim. Seu marido foi o responsável pela doação do órgão logo após ela ter perdido seu bebê após o diagnóstico de doença renal crônica durante a gestação.

Publicidade

“Eu me senti muito feliz, principalmente pelo doador ter sido meu marido. A atitude dele foi surreal, pois desde o começo de tudo, ele sempre disse que seria meu doador e foi. Senti que tive uma segunda chance de vida e isso não tem explicação, fora todo suporte que tivemos da equipe médica”, contou a receptora.

Artigos Relacionados