8 cuidados para evitar dores na coluna

Dor lombar, que ocorre na parte inferior da coluna vertebral, está entre as dores mais comuns por afetar 8 em cada 10 pessoas

É muito comum ouvirmos que alguém está com dores nas costas, especialmente quando falamos de incômodos na coluna vertebral. E isso não é um mito. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que 7 em cada 10 pessoas têm ou terão problemas na coluna durante a vida.

Publicidade
Agrifoglio Vianna no JRS

Mais importante do que qualquer atitude é um diagnóstico preciso para saber a raiz do problema e sobre como tratá-lo. O American College of Physicians (ACP), ou Colégio Americano de Médicos, em português, é a segunda mais importante associação de médicos dos Estados Unidos desencoraja, desde 2017, que as pessoas façam uso indiscriminados de medicamentos para este tipo de dor, para evitar dependência dos fármacos e, até mesmo, outros problemas que possam surgir em decorrência do uso exagerado.

Causa da dor

Muitas pessoas possuem problemas genético, hereditários ou até mesmo que contraíram no decorrer da vida e precisam de acompanhamento médico para que suas dores sejam tratadas de forma adequada.

Contudo, outra parcela da população se queixa de dores nas costas, em especial a lombar, localizada na parte inferior da coluna, por posturas incorretas em diversos momentos do dia a dia.

Publicidade
C Josias & Ferrer no JRS

O neurocirurgião especializado em cirurgia minimamente invasiva da coluna, Dr. Lucas Vasconcellos, orienta oito cuidados para evitar que as pessoas sintam dores na coluna, podendo assim viver melhor e sem maiores riscos futuros.

“Basicamente, as pessoas precisam ter boa postura, tanto no trabalho, quanto em casa e ao dormir; fazer fortalecimento com hipertrofia muscular, condicionamento físico com atividades aeróbicas, alimentação saudável e evitar fumar”, aconselha.

O Dr. Lucas ainda faz alerta sobre quando as dores na coluna precisam de mais atenção. “São três os sinais de alerta que todos devem ter em mente: dores irradiadas para o braço (braquialgia) e para as pernas (ciática); dores crônicas que duram mais de 15 dias; e déficits neurológicos, como perda de sensibilidade, perda de força e alterações de reflexos”.

Como evitar estes problemas

Vasconcellos aponta que ter uma vida saudável mais ativa reflete positivamente para evitar que problemas nas costas sejam ocorrências constantes e, assim como uma alimentação balanceada auxilia no fortalecimento do corpo, práticas esportivas também são ótimas aliadas.

“O que posso orientar é que as pessoas não sejam sedentárias e façam, ao menos, 30 minutos de atividades diárias, três vezes na semana. Além disso, é fundamental considerar pegar quantidades menores de peso e evitar esportes radicais e atividades de impacto”, pontua o Dr. Lucas.

Artigos Relacionados