AT&M divulga aumento de 13% na movimentação de cargas de abril para maio

A líder do mercado de seguros de transporte de cargas registrou mais de R$ 482 bilhões em movimentação no setor em todo o país

A AT&M Tecnologia, empresa que detém mais de 90% do mercado de seguros de transporte de cargas no Brasil, com mais de 26 mil transportadoras e embarcadores, registrou em maio, R$482 bilhões em movimentação de cargas em todo o país, o que representa um aumento de 13% em relação a abril, quando a AT&M havia contabilizado R$430 bilhões. No mesmo mês, foram averbados (registros de cada movimentação de carga), 57 milhões de documentos, num aumento de 34% em relação a abril, quando a empresa havia averbado 45 milhões de pedidos de transporte.

Publicidade
Seguro PASI

Em maio de 2020, na comparação com o mesmo mês de 2019, a queda no valor total das cargas movimentadas no país foi de 6%. No mesmo mês do ano passado, o valor de movimentação averbada chegou a casa dos R$516 bilhões. Já o volume de documentos averbados cresceu nove por cento em relação a maio de 2019.

O balanço mensal é calculado a partir de notas fiscais e dos documentos eletrônicos de Conhecimentos de Transportes (CT-es), informados diariamente no momento do embarque pelo transportador. Esses dados são apurados considerando-se a movimentação de mais de 26 mil transportadoras e embarcadores que atuam em todo o Brasil.

O sócio fundador da AT&M, Vagner Toledo, destaca que setores da economia responsáveis pelo aumento da quantidade de transportes realizados e dos valores de cargas movimentadas em maio foram e-commerce, agronegócio, medicamentos, produtos de higiene, perfumaria e supermercados. Segundo ele, ao mesmo tempo, o setor automotivo e a indústria de bens duráveis e máquinas tiveram fortes quedas em suas demandas, tendo em vista que o consumo de itens básicos se tornou prioridade para as famílias, durante a pandemia do coronavírus.

Publicidade
Icatu Seguros no JRS

“Em abril, o recuo das atividades econômicas como um todo foi muito grande em relação a março, quando a economia se recuperava lentamente”, analisa. “Com a flexibilização do isolamento social em muitas cidades brasileiras e a retomada de alguns setores, já esperávamos uma recuperação em maio. Ainda não alcançamos o desempenho de crescimento leve da economia ocorrido até março, mas o mercado aponta para uma recuperação mesmo que lenta das vendas para os próximos meses”.

GREVE

No auge da greve dos caminhoneiros, que ocorreu em maio de 2018, o setor de transporte de cargas sofreu um impacto muito maior quando comparado à crise do coronavírus. Isso mostra que muitos setores da economia mantiveram suas atividades e a logística do país contribuiu para o abastecimento das cidades durante a pandemia. Em maio de 2018, foram registrados R$ 401 bilhões em movimentação de cargas no Brasil e 27 milhões de documentos averbados. Na comparação com maio de 2020, o país obteve aumento de 23% nos valores totais de cargas movimentadas e 126% de aumento de documentos averbados.

Toledo acrescenta que, desde 2018, os dados de movimentação de cargas que são informados oficialmente ao mercado refletem o termômetro do transporte de cargas do Brasil. Os indicadores da empresa não são construídos com base em pesquisa ou percepções de mercado. Para a contabilização diária, sem interrupções, sete vezes por semana, 24 horas por dia, a empresa mantém infraestrutura tecnológica formada por servidores instalados em um dos maiores data centers do mundo. ​

Artigos Relacionados