Zurich amplia redução das emissões de carbono e incentiva opções ecologicamente corretas

Ações impactarão operações em nível global, com 70% menos viagens aéreas e outras medidas voltadas para veículos, alimentos, papel e imóveis

A Zurich Insurance Group (Zurich) está adotando medidas globais para acelerar as reduções nas emissões de carbono de suas operações, refletindo a necessidade urgente de responder à crise climática. Novas orientações para viagens aéreas, uma mudança para veículos mais ecologicamente corretos e mais compromissos para reduzir a pegada ambiental da Zurich visam a encorajar mudanças na forma como trabalhamos e vivemos.

Publicidade
Gente Seguradora no JRS

A Zurich também está aumentando a sua oferta de produtos e serviços para ajudar os clientes na transição para um futuro com emissões líquidas zero. Isso inclui o primeiro fundo de ações neutro em carbono do setor de seguros – uma nova opção de economia sustentável para clientes de seguro de vida – e uma expansão de seu compromisso de subscrever energia renovável.

“A crise climática exige uma ação urgente e pequenos passos dados por cada um de nós – pessoas, organizações e empresas – resultarão em um salto gigantesco ao longo do tempo”, disse Mario Greco, CEO do Grupo. “As nossas novas medidas visam a reduzir ainda mais a nossa própria pegada de carbono e, ao ter um impacto direto em como trabalhamos, inspiram empregados, fornecedores, clientes e outros a agir por conta própria”, completou o executivo.

“A experiência da pandemia global nos mostrou um caminho para melhorar muitos aspectos de nossa vida diária e profissional, e não há como voltar atrás. Agora é a hora de ultrapassar os limites, incorporar novos comportamentos e se adaptar a uma nova realidade. À medida que os riscos das mudanças climáticas aumentam, ajudar os nossos clientes em sua jornada rumo a emissões líquidas zero é uma prioridade, e as nossas mais recentes soluções de seguro sustentável refletem esse compromisso”, citou Greco.

Publicidade

Novas ações climáticas

A Zurich tem como objetivo zerar as emissões líquidas até 2050, em linha com a meta do Acordo de Paris de limitar o aquecimento global a 1,5°C. O grupo se comprometeu a usar todas as opções disponíveis: operações, investimentos, produtos e serviços de seguros.

Embora as operações do grupo sejam neutras em carbono desde 2014, a Zurich está empenhada em reduzir as emissões de gases de efeito estufa remanescentes em 50% até 2025, e em 70% até 2029. A empresa está acelerando a jornada em direção a essas metas por meio das seguintes ações globais, com foco em viagens, veículos, alimentos, papel e imóveis:

  • Em todas as empresas em todo o mundo, a Zurich visa a reduzir as emissões relacionadas a viagens aéreas a partir de 2022 em 70%, em comparação ao seu nível pré-pandemia.
  • A comunicação com os clientes, que representa 80% do consumo de papel do grupo, possui a meta de se tornar totalmente digital até 2025, embora os clientes possam optar por comunicações baseadas em papel.
  • Com efeito imediato, os novos veículos da empresa serão elétricos ou híbridos, com o objetivo de eliminar da frota os veículos exclusivamente com motor de combustão interna até 2025.
  • O grupo pretende implementar um programa de edifícios sustentáveis em mais 50 escritórios até ao final de 2022. Uma nova ambição de eficiência energética para o setor imobiliário será definida assim que a meta de mudar para 100% de energia renovável em todo o grupo for alcançada, no próximo ano.
  • Até o final de 2022, espera-se que todos os restaurantes da empresa sirvam alimentos saudáveis, sazonais e de origem regional, e introduzam programas de gestão de resíduos alimentares para as sobras de comida.

Ao todo, espera-se que as novas medidas reduzam as emissões de dióxido de carbono equivalente, nas operações do grupo, em mais de 40.000 toneladas métricas anuais até 2025, ou 20%, em comparação a 2019. Uma tonelada de CO2 é removida da atmosfera quando 50 árvores crescem por um ano, de acordo com a consultoria ambiental Climate Neutral Group, tornando a meta de economia equivalente à quantidade anual capturada por 2 milhões de árvores.

Apoio aos clientes durante a transição

Uma prioridade do compromisso da Zurich com um futuro de 1,5°C é ajudar os clientes a fazer a transição para uma economia de emissões líquidas zero, oferecendo produtos e serviços que reduzam as suas emissões e fortaleçam a sua resiliência às mudanças climáticas.

A Zurich está lançando uma nova opção de investimento neutro em carbono para soluções de seguro de vida vinculadas a unidades que combinam economia com a proteção de uma apólice de seguro. O fundo Zurich Carbon Neutral World Equity Fund investe em empresas com baixas emissões.

O grupo também está aumentando a sua oferta para o setor de energia renovável, fortalecendo ainda mais a sua capacidade de subscrição de energia limpa para oferecer um conjunto mais completo de produtos e serviços personalizados para apoiar a transição de nossos clientes, que será lançada em janeiro de 2022.

Conferência sobre mudanças climáticas COP26, uma oportunidade de ação

A última edição do quadro de resultados de mudanças climáticas anual da Zurich, que acompanha o progresso em relação às metas de emissões líquidas zero para 2050, mostra tendências positivas, mas avisa que algumas podem ser revertidas com o retrocesso da pandemia, como menor consumo de energia e emissões. O quadro de resultados foi publicado em um white paper: Podemos juntos limitar o aquecimento global a 1,5ºC?.

Divulgação
Divulgação

O relatório destaca onde os principais desafios permanecem: isso inclui o desenvolvimento de tecnologias de captura de carbono para reduzir as emissões em indústrias pesadas e uma lacuna significativa de investimento verde.

A análise apela a ações concretas de curto prazo para traduzir os desenvolvimentos positivos nos últimos 12-18 meses em um caminho estável para zerar as emissões líquidas. Ela destaca as ações prioritárias para os negócios e a necessidade das organizações de gerenciar os riscos físicos de um clima em mudança e os riscos de transição de investidores e requisitos regulatórios em rápida evolução.

A próxima conferência COP26 oferece uma oportunidade clara para chegar a um acordo sobre ações políticas para cumprir compromissos climáticos ambiciosos. No white paper, a Zurich encoraja os participantes a fornecerem maior clareza e confiança para o setor privado na abordagem da transição, adotando medidas sobre precificação do carbono, consistência nas divulgações e compartilhamento de riscos do governo nos investimentos necessários.

Aumento da conscientização ambiental

A Zurich aumentará ainda mais a conscientização sobre a urgência de ações em relação ao meio ambiente ao se tornar patrocinadora global de uma série de exposições do fotógrafo e ativista climático de renome mundial Sebastião Salgado.

Amazônia, que estreia em Roma e Londres este ano, é uma celebração aos povos indígenas das florestas tropicais no Brasil, terra natal de Salgado, e uma reflexão sobre o equilíbrio precário entre o homem e a natureza. Será exibida em outras grandes cidades durante 2022, incluindo São Paulo, Rio de Janeiro e Avignon, na França.

Salgado e sua esposa Lélia passaram mais de 20 anos restaurando a floresta nativa no estado de Minas Gerais, em um pedaço de terra que ficou estéril devido à atividade pecuária durante o século XX.

A Zurich já é patrocinadora exclusiva de um projeto de oito anos para transformar a floresta em um ecossistema autossustentável, com o plantio de um milhão de mudas de 300 espécies nativas diferentes. Até o final do ano, será plantado aproximadamente um quarto do total.

Artigos Relacionados